PRÁTICO HANS VENCE REGATA RECIFE-FERNANDO DE NORONHA

10:58

O prático Hans Hutzler fez história vencendo, na noite de domingo (25/9), a 33ª edição da Regata Internacional Recife-Fernando de Noronha (Refeno). A bordo do catamarã Aventureiro 4, ele completou as 300 milhas náuticas (560 km) até o arquipélago em 32 horas, 49 minutos e 56 segundos. Nunca um velejador solitário havia concluído a Refeno em barco tão grande, de 51 pés (mais de 15 metros).

E somente quatro outros velejadores fizeram a regata solo: Carlos Portela, no Delta 26 Glasnost II, em 1996; Izabel Pimentel, a bordo de um Mini Transat – 21 pés, em 2008; Kan Chuh, também a bordo de um Mini Transat – 21 pés, em 2012; e Carlos Bianco Fernandez, no Winsdom – 28 pés, em 2016 e 2019.

O Aventureiro 4 quebrou ainda hegemonia de dois barcos que durava sete anos. De 2014 a 2017, o Fita Azul foi o Camiranga (RS). Já nas últimas três edições (2018, 2019 e 2021), houve domínio do Patoruzú (PE). Em 2020, a regata não aconteceu em virtude da Covid-19.


– Foi uma regata cansativa, mas boa. Ventinho no início estava fraco e de contra, de nordeste. Não estava no script, mas tive que ir dando bordo até a boia norte. Mal dava para fazer o rumo para a ilha. Optei por seguir estratégia que deu certo em outra Refeno de contravento, em 1993. Na época, como navegador do Chrisleen (BA), fui Fita Azul, velejando mais por baixo da flotilha e aguardando a mudança prevista para o vento. E de madrugada (o vento) mudou e consegui amanhecer à frente do Patoruzú. Foi quando entrou vento muito forte, de 33 nós, e troquei a vela grande na proa por uma menor – descreveu Hans à organização.

A regata internacional, com 81 participantes, foi mais um desempenho positivo do barco. Em 2021, Hans foi Campeão Pernambucano de Veleiros de Oceano na classe dos multicascos e, em sua estreia na Refeno, chegou menos de 12 minutos após o conterrâneo Patoruzú.

Em julho deste ano, o Aventureiro 4 venceu as seis regatas da classe multicasco na Semana Internacional de Vela de Ilhabela, sendo a primeira participação de um barco pernambucano no maior campeonato de vela de oceano do país. Em novembro, Hans seguirá para a Cidade do Cabo, na África do Sul, onde a regata transatlântica Cape2Rio larga para o Rio de Janeiro.

Com informações da Refeno

Fotos: Tsuey Lan Bizzocchi/Cabanga

Bons ventos nos trazem de volta a Semana Temática de Oceanografia (STO

11:47


A STO é organizada por alunos do quinto ano da graduação do IOUSP. Sua primeira edição foi realizada em 2006, marcando o início de uma tradição. O evento possui o objetivo de difundir as ciências do mar, compartilhar conhecimento e propor discussões acerca da Oceanografia. Assim, por meio de palestras, mesas-redondas, oficinas e minicursos, a STO atrai pessoas de diversos públicos, estudantes da graduação e pós-graduação de diversas áreas, profissionais da oceanografia e curiosos.

Após duas edições no formato remoto, em função das condições impostas pela pandemia, estamos muito contentes de retornar com o formato presencial a ser realizado entre os dias de 26 a 30 de setembro de 2022.

Não podemos falar de oceanografia - que é essencialmente multidisciplinar e abrangente - sem interligar todas as facetas das mais diversas áreas, bem como entender como ela é afetada e moldada pela sociedade em que vivemos. Dessa forma, o tema da 17º STO apresenta  "Oceano e o desenvolvimento humano".

Quando falamos de desenvolvimento humano, muitas questões podem ser levantadas, como as atividades econômicas e sociais, as evoluções científicas e tecnológicas e as pressões ambientais decorrentes que moldam o futuro da humanidade. O que é possível alcançar através da oceanografia? Como a ação antrópica impacta os ecossistemas e comunidades costeiras? O crescimento econômico e o uso sustentável do mar caminham juntos? Essas e outras discussões serão debatidas nesta edição da STO.

A lista de convidados externos a comunidade IOUSP incluem: O presidente nacional da Aoceano Fernando Dielh; a representante regional da Aoceano Vivian Martinho;  Rogério Rushel, jornalista e autor do livro "O valor do mar: Uma visão integrada dos recursos do oceano do Brasil"; Letícia Lotufo, professora e especialista em farmacologia a partir da biodiversidade marinha; Flávia Noronha, professora da EACH-USP especialista em ciências atmosféricas; Paolo Alfredini, professor da POLI-USP especialista em Engenharia Costeira e Portuária; Keyi Ussami, especialista de Economia do Meio-ambiente e egressa do IOUSP; Maria Eugênia Fernandes, mestre em Combate aos Resíduos Plásticos no Oceano e também egressa do IOUSP.

Além dos convidados da comunidade IOUSP e professores do Instituto: Yara Shaeffler, Alexandre Turra; Miguel Mies; Mary Gassala; Eduardo Siegle; Felipe Toledo; Natasha Travenisk Hoff

Além disso, serão oferecidos os minicursos:

Ocean Data View (ODV) com o Prof. Dr. Paulo Polito

Direito Ambiental com Daniela Malheiros Jerez; advogada, bióloga e analista de políticas públicas da WWF.

Desenho científico com Clara D'elia; artista visual e graduanda em biologia

Introdução ao LaTeX com Prof. Rodrigo Rodrock, analista de sistemas e professor de Ciências da Natureza.

Ineditamente, a edição deste ano levará os aderidos para uma visita no Tanque de Provas Numérico da Engenharia Naval da Escola Politécnica, onde serão apresentados o tanque de provas idealizado com o propósito de calibrar os modelos hidrodinâmicos e estruturais, além disso, também haverá uma visita ao Simulador de Manobras de Navio.

É importante lembrar que emitimos certificado de participação e oferecemos inscrição social!

Além disso, os 150 primeiros inscritos ganharão um kit exclusivo e concorrerão a um curso de mergulho.

A inscrição é online ou presencial: Na piscininha do prédio didático de segunda a sexta das 11:40 às 14h.

Para mais informações acessem nosso instagram e site.

INSCRIÇÕES

INSTAGRAM XVII STO 2022

SITE

175 anos da Capitania dos Portos de São Paulo

08:49


Histórico

 O Decreto Imperial nº 358 de 14 de agosto de 1845 autorizava o Governo "a estabelecer uma Capitania do Porto em cada Província Marítima do Império" com atribuições específicas de "policia naval, conservação do porto, inspeção e administração dos faróis, balizamento, matrícula da gente do mar e do tráfego do porto e das costas, praticagem e das barras, etc...

Em decorrência, pelo Decreto nº 531, de 11 de setembro do ano de 1847, sua Majestade e Imperador D. Pedro II resolvia estabelecer a Capitania do Porto de Santos na província de São Paulo, tendo o seu primeiro titular, o Capitão-de-Mar-e-Guerra JOÃO BAPTISTA DE SOUZA, assumido o cargo em 15 de maio de 1852. A Capitania funcionava então no prédio do antigo Arsenal de Marinha de Santos, em frente à Igreja do Carmo, onde existe hoje a Praça Barão do Rio Branco, prédio este que, antes de servir como sede da Capitania, agrupou uma Companhia de Aprendizes Marinheiros.

Em 1956, a Capitania passou a localizar-se na Av. Conselheiro Nébias, 488 em prédio adquirido pela Marinha ao seu construtor Sr. Alberto Baccarat. Desde agosto de 2003, as instalações passaram para uma área no cais da Marinha, localizada entre os armazéns 27 e 29, no Porto de Santos, bairro do Macuco. Com o advento da República, a Capitania passou a chamar-se Capitania dos Portos de Estado de São Paulo, e em 1997, ano do seu sesquicentenário adquiriu a denominação de Capitania dos Portos de São Paulo. A capitania é uma OM subordinada diretamente ao Comando do Oitavo Distrito Naval.




Dia 16 de novembro : Dia da Amazônia Azul

08:01

 


Você sabia?

A Amazônia Azul®️ é a região que compreende a superfície do mar, águas sobrejacentes ao leito do mar, solo e subsolo marinhos contidos na extensão atlântica que se projeta a partir do litoral até o limite exterior da Plataforma Continental brasileira.

Pela Amazônia Azul, mais de 95% de nosso comércio exterior trafega e cerca de 95% do petróleo nacional é extraído, sendo, ainda, acervo de incontáveis recursos vivos, minerais e sítios ambientais, com a existência de estratégicos portos, centros industriais e de energia.

Mais do que um espaço geográfico, a Amazônia Azul deve ser vista como um conceito político-estratégico remetendo à importância do Poder Marítimo ao Brasil. Ensejada no Atlântico Sul, entorno estratégico estabelecido nos documentos de alto nível, como a Política Nacional de Defesa, a Estratégia Nacional de Defesa e o Plano Estratégico da Marinha – PEM 2040, a Amazônia Azul é patrimônio nacional, fonte de riqueza e cobiça, a ser protegido, preservado e explorado, com sustentabilidade.


O dinamismo e a evolução de cenários oceanopolíticos e interesses de toda a ordem, demandam, cada vez mais, uma presença robusta da Marinha do Brasil na Amazônia Azul, além do desenvolvimento de sistemas de monitoramento e controle, capazes de enfrentar as ameaças, presentes e futuras.

Ela deve ser interpretada sob quatro vertentes: econômica, científica, ambiental e da soberania.



Fonte: Marinha do Brasil


Desfile Naval é atração na orla de Santos no Bicentenário da Independência

17:00


As águas da baía de Santos (SP) serão palco de uma grandiosa atração: na quarta-feira, dia 7 de setembro, a partir das 13h, munícipes e turistas poderão apreciar a vista de embarcações oficiais, que participarão da Parada Naval da Marinha do Brasil.


Os barcos sairão do Cais da Marinha, no Porto de Santos (Macuco), e desfilarão até as proximidades da Ilha Porchat, em São Vicente, retornando para o local de saída. Os melhores pontos para assistir ao espetáculo estarão na Ponta da Praia, às 13h, e ao longo da orla da praia das duas cidades, a partir das 14h, quando os navios retornam mais próximos da areia - a 500 metros de distância.


O desfile, que será capitaneado pelo navio-patrulha “Guajará”, contará com a participação da lancha de inspeção naval blindada “Mangangá” e os avisos de patrulha “Barracuda” e “Espadarte”, subordinados ao Comando do Grupamento de Patrulha Naval do Sul-Sudeste, além de duas embarcações da Capitania dos Portos de São Paulo e lanchas da Polícia Federal, Polícia Militar Ambiental e da Guarda Portuária. 


Além de comemorar o Bicentenário da Independência do País, a ação tem o objetivo de oferecer à população a oportunidade de conhecer um pouco mais sobre os meios operativos que patrulham o litoral da Baixada Santista e ampliar a capacidade da sociedade em identificar a importância do mar e de suas potencialidades para os brasileiros.


O evento será coordenado pelo Comando do Grupamento de Patrulha Naval do Sul-Sudeste, subordinado ao Comando do 8º Distrito Naval, em Santos.