PRATICAGEM DO RJ INSTALA MODERNO CENTRO DE SIMULAÇÕES

11:29

A Praticagem do Rio de Janeiro instalou, em anexo ao seu centro de controle operacional, um centro de simulações de manobras de alta tecnologia. São dois simuladores integrados e uma sala de controle e instrução capazes de simular com precisão manobras de navios sob a influência de condições ambientais específicas e em cenários desenvolvidos para todos os portos e terminais que compõem a Zona de Praticagem do Estado do Rio de Janeiro (ZP-15), além dos seus canais de acesso.


Um simulador é do tipo Full Mission. Com visualização do ambiente externo em 240 graus, ele alterna modelos de diversos tipos de navios, com controles para diferentes tipos de propulsão, inclusive azimutal.O outro simulador, integrado ao primeiro, é do tipo Part Task. Com visualização do ambiente externo em 90 graus, ele simula a ação de um rebocador portuário com propulsão azimutal, controlado a partir de uma poltrona com controles azimutais nos braços. Essa integração permite ao prático da manobra interagir com o comandante do rebocador durante a simulação.

Já a sala de controle pode gerar diferentes tipos de fainas de praticagem, em qualquer porto, terminal ou canal de acesso, assim como gerar outros navios para interação com o navio simulado e mais rebocadores, possibilitando simular manobras com o concurso de vários rebocadores.

– O centro de simulações será empregado no treinamento de nossos práticos, que poderão realizar qualquer manobra que já executam no mundo real, aprimorando sua expertise, inclusive em situações de emergência como perdas de máquinas e leme. Também permitirá uma familiarização rápida com novos navios que venham a operar na nossa ZP, como os porta-contêineres de 366 metros de comprimento, e com novos terminais, canais ou berços que sejam desenvolvidos – explica o presidente da Praticagem do Rio de Janeiro, Marcello Camarinha.


A praticagem está finalizando ainda um termo de cooperação técnica com o Laboratório Tanque de Provas Numérico da Universidade de São Paulo (TPN-USP), referência em simulações, congregando o conhecimento dos práticos ao da Academia.


Tribunal Marítimo inova com primeira sessão pelo Sistema Eletrônico de Informações (SEI)

08:45

 

Primeira Sessão pelo SEI no TM;

Celeridade e tecnologia marcaram a sessão plenária de 20 de abril de

2021 do Tribunal Marítimo. Pela primeira vez, o colegiado utilizou o Sistema

Eletrônico de Informações (SEI), durante a sessão, quando foram

apreciadas 16 representações da Procuradoria Especial da Marinha (PEM).

 A funcionalidade é responsável pelo trâmite administrativo dos processos da

Corte Marítima por meio digital.


Tecnologia já empresta celeridade ao trâmite de processos.


Esta sessão, presidida pelo Vice-Almirante Wilson Pereira de Lima Filho,

marca mais uma fase da implantação do Processo Eletrônico do TM,

capitaneado por militares de Tecnologia da Informação (TI) do próprio

Tribunal. A customização do SEI, com a funcionalidade SEI Julgar, foi

totalmente desenvolvida por oficiais e praças de TI do TM, “o que denota

profissionalismo e a indispensável atuação desse corpo técnico na

implantação e manutenção dessa nova era do Tribunal”, destaca o Juiz-

Presidente.


Dentre as capacidades do Sistema estão o acompanhamento de

processos online e a assinatura de documentos por usuários internos e

externos ao Tribunal, o que automatiza todas as etapas do processo e reduz

o tempo de tramitação. Essas capacidades permitirão o aumento da

produtividade e a diminuição do uso do papel no trâmite de processos e,

neste período de pandemia, possibilita aos representados ou advogados das

partes peticionarem em qualquer computador ou até mesmo pelo celular,

facilitando o acesso aos autos sem sair de casa.


Fonte; Tribunal Marítimo





BEM-VINDO À "AMAZÔNIA AZUL": A Última Fronteira

08:07

Amazônia Azul: "é um conceito de natureza político-estratégica que compreende o Mar Territorial, a Zona Econômica Exclusiva, a Plataforma Continental, as hidrovias e demais águas interiores brasileiras."

O Brasil possui o direito de explorar uma extensa área oceânica, com cerca de 5,7 milhões de km2, o que equivale a, aproximadamente, metade da nossa massa continental.

No mar estão as reservas do pré-sal e dele retiramos cerca de 95% do petróleo, 80% do gás natural e 45% do pescado produzido no País. Por nossas rotas marítimas, escoamos mais de 95% do comércio exterior brasileiro. Nessa área existem recursos naturais e uma rica biodiversidade ainda inexplorados.

Buscando alertar a sociedade sobre a importância estratégica desse imenso espaço marítimo, a Marinha do Brasil passou a denominá-lo "Amazônia Azul".

Portanto, é imprescindível conscientizarmos o povo brasileiro quanto ao imenso patrimônio existente em nossas águas e à imperiosa necessidade de protegê-lo e preservá-lo, para garantirmos a posse sobre esse tesouro que, mesmo ainda incalculável, pertence ao Brasil e a todos os brasileiros.


....................................................................................................................................................................

MAR TERRITORIAL (MT) – estende-se das linhas de base adotadas pelo Estado costeiro até a extensão máxima de 12 M (22km). No mar territorial, o Estado costeiro exerce soberania plena sobre a massa líquida e o espaço aéreo sobrejacente ao mar territorial, bem como ao leito e subsolo deste mar (CNUDM, Artigos 2 a 4).

ZONA CONTÍGUA - A convenção das Nações Unidas para o Direito do Mar permite que o Estado costeiro mantenha sob seu controle uma área de até 12 milhas náuticas, adicionalmente às 12 milhas do mar territorial, para o propósito de evitar ou reprimir as infrações às suas leis e regulamentos aduaneiras, fiscais, de imigração e sanitários no seu território ou mar territorial.

ZONA ECONÔMICA EXCLUSIVA (ZEE) – estende-se até a distância máxima de 200 M (370km) medida a partir das linhas de base adotadas pelo Estado costeiro. Na zona econômica exclusiva, o Estado costeiro tem direitos de soberania para fins de exploração e aproveitamento, conservação e gestão dos recursos naturais, vivos ou não vivos das águas sobrejacentes ao leito do mar, do leito do mar e seu subsolo, e no que se refere a outras atividades com vista à exploração e aproveitamento da ZEE para fins econômicos, como a produção de energia a partir da água, das correntes e dos ventos. Também tem jurisdição no que se refere à: 1) colocação e utilização de ilhas artificiais, instalações e estruturas; 2) investigação científica marinha; 3) proteção e preservação do meio marinho (CNUDM, Artigos 55 a 57).

PLATAFORMA CONTINENTAL (PC) – a ser estabelecida conforme os critérios técnicos e condicionantes do Artigo 76 da Lei do Mar. Na plataforma continental, o Estado costeiro exerce direitos de soberania para efeitos de exploração e aproveitamento dos seus recursos naturais, que são os recursos minerais e outros recursos vivos do leito do mar e subsolo bem como os organismos vivos pertencentes a espécies sedentárias, isto é, aquelas que no período de captura estão imóveis no leito do mar ou no seu subsolo ou só podem mover-se em constante contato físico com esse leito ou subsolo. Os direitos do Estado costeiro na plataforma continental são exclusivos no sentido de que, se o Estado costeiro não explora a plataforma continental ou não aproveita os recursos naturais da mesma, ninguém pode empreender estas atividades sem o expresso consentimento desse Estado. Nos termos da Convenção, os direitos do Estado costeiro sobre a plataforma continental são independentes da sua ocupação, real ou fictícia, ou de qualquer declaração expressa (CNUDM, Artigos 76 e 77).



Inscrições de palestrantes para a 2a. Semana do Oceano/21, do Café com Ciência do IOUSP

12:48


O Café com Ciência do Instituto Oceanográfico da USP (IOUSP) tem o prazer de convidar para  a 2º Edição Comemorativa da Semana do Oceano, que está sendo organizada em parceria com a CCEx (IO USP). E será realizada entre os dias 7 a 11 de junho, por meio de plataformas online e transmissão via Youtube, sempre às 16hs (Horário de Brasília).  

Gostaríamos de manter um dia da semana para cada área da Oceanografia como fizemos na 1º edição. Sobre temas atuais e relevantes, divulgando as pesquisas conduzidas no instituto Oceanográfico da USP!  Vamos abrir um formulário para possíveis palestrantes da Semana do Oceano e contamos com a ampla adesão de todos.

Vamos comemorar a Semana do Oceano falando de ciência de qualidade e nas fronteiras da Oceanografia. 

Link do Formulário de Inscrição: 

https://forms.gle/uqpqZvvCoyt4hwpr5

Fonte: IOUSP

Cerimônia de transmissão do Comando da Marinha é realizada em Brasília

11:19

 

A cerimônia teve a presença do Presidente da República
 
O Almirante de Esquadra Almir Garnier Santos assumiu, nesta sexta-feira, 9 de abril, o Comando da Marinha do Brasil (MB), cargo exercido por mais de dois anos pelo Almirante de Esquadra Ilques Barbosa Junior. A cerimônia de transmissão do Comando, presidida pelo Presidente da República, Jair Messias Bolsonaro, foi realizada no Grupamento de Fuzileiros Navais de Brasília.
 
Em suas palavras de despedida, o Almirante Ilques destacou a relevância da posição ocupada e do cumprimento das diretrizes de sua gestão. “Foi mais que um privilégio, foi a realização maior de um marinheiro. Ao assumir a mais alta posição na hierarquia da invicta Marinha de Tamandaré, apresentei as diretrizes que pautariam meu comando: a compreensão de que estamos em contínuo combate contra ameaças multicomplexas. Essas ameaças foram amplamente divulgadas no Plano Estratégico da Marinha (PEM-2040) e nas diversas oportunidades, em reuniões com diversos segmentos da sociedade brasileira”, disse.
 
O Almirante destacou, ainda, as ameaças contra as quais a Marinha deve continuar a lutar como crimes ambientais, pandemias e principalmente pela manutenção da soberania nacional. “A sociedade brasileira precisa entender o significado e desdobramentos de todas essas ameaças. Tenho a firme convicção da sua importância para a defesa dos interesses do Brasil na Amazônia Azul, da continuidade dos nossos programas estratégicos, obtenção da capacidade operacional plena, construção do núcleo do poder naval e, o mais importante, o Pessoal, nosso maior patrimônio, que na ‘Era do Conhecimento’, tem destacada relevância, no que se refere à capacitação, tanto humanística como tecnológica”, afirmou.
 
Almirante Garnier (à direita) recebe os cumprimentos do Almirante Ilques
 
Na ocasião, o Ministro da Defesa, Walter Braga Neto, lembrou fatos da trajetória profissional do Almirante Ilques e apontou os principais avanços alcançados pela Marinha nos últimos anos. O Ministro destacou a Força de trabalho da Marinha, além de enfatizar a capacitação técnico-profissional de militares e civis. Ressaltou a aprovação da reforma do sistema de proteção social dos militares das Forças Armadas, da reestruturação e valorização da carreira militar, e a evolução dos programas estratégicos. “A Marinha avançou em seus principais planos estratégicos, com destaque para o desenvolvimento do Programa de Submarinos, que obteve grandes conquistas com a ativação da Base de Submarinos da Ilha da Madeira, as provas de mar do Submarino ‘Riachuelo’, o lançamento do Submarino ‘Humaitá’ e a integração das seções do Submarino ‘Tonelero’. A ampliação da capacidade operativa da Força foi prevalente no seu comando”, destacou.
 
Em seu discurso de posse, o Almirante de Esquadra Garnier, destacou a continuidade dos esforços conjuntos com o Exército e a Aeronáutica. “Certo estou de que ombreados continuaremos, com os esforços e emprego conjuntos, levados a cabo pelo Estado Maior Conjunto das Forças Armadas, visando à superação de todos os obstáculos e adversidades que venham a se interpor à nossa trajetória. O povo brasileiro certamente conta com suas Forças Armadas, razão pela qual sempre as valorizou e as classificou com elevado grau de confiança”, pontuou.
 
Almirante Garnier durante discurso de assunção do Comando
 
 
O novo Comandante da Marinha também defendeu a continuidade da presença da Força em ações de combate à pandemia do novo coronavírus, a fim de salvar vidas e amenizar as dificuldades das famílias brasileiras. “Nossas Forças Armadas têm levado vacinação e assistência aos rincões mais distantes, como ao interior da floresta amazônica, ao pantanal brasileiro e a outras regiões remotas como a Antártica. Auxiliamos na vacinação, transportamos oxigênio, insumos hospitalares, removemos pacientes graves de cidades saturadas, doamos centenas de litros do nosso próprio sangue, distribuímos milhares de cestas básicas aos mais necessitados, descontaminamos inúmeros locais de grande movimento e conduzimos obras sociais variadas. Com a Universidade de São Paulo, a Marinha desenvolveu e produziu, em tempo recorde, respiradores, máscaras, álcool gel, dentre outros. Toda a base industrial de defesa, movimentada por nossas Forças Armadas, está engajada nesse combate e continuará enquanto o inimigo não for vencido”, reforçou.

Fonte: Marinha do Brasil

Práticos de São Paulo recebem dia 7 de abril, em cerimônia virtual, o mais importante prêmio da comunidade marítima internacional

12:23

 

Dia 7 de abril, às 9 horasDurante a solenidade  transmitida pelo Youtube Premiere ( www.youtube.com/imohq), será exibido um vídeo com o agradecimento dos homenageados.

 
 Os práticos Marcio Santos Teixeira e Fábio Rodrigues Alves de Abreu vão receber o Prêmio IMO por Bravura Excepcional no Mar nesta quarta-feira, 7 de abril, em cerimônia virtual. Foi um feito e tanto. Durante quase seis horas os práticos Marcio Santos Teixeira e Fábio Rodrigues Alves de Abreu enfrentaram no dia 28 de abril de 2019 uma tempestade com rajadas de mais de 130 km/hora (70 nós), ondas de 1,5 a 2 metros, chuva constante, muita tensão e um enorme desafio pela frente: no meio desse caos fundear em segurança dois petroleiros carregados e atrelados um ao outro por cabos de aço. O prêmio, anunciado no dia 10 de setembro de 2020, foi recebido com muito entusiasmo na Praticagem de São Paulo.
 

Esses navios estavam à deriva no Canal de São Sebastião, levados pela força das correntes marítimas e rumando perigosamente para Ilhabela, colocando em risco seus moradores e o meio ambiente. E se não bastante todo o estresse dos comandantes dos dois navios e da tripulação, eles ainda tiveram que interromper a delicada operação para retirar um tripulante em estado crítico e mandá-lo para a terra para tentar um atendimento rápido no hospital.

 

Para superarem essas condições adversas do tempo e do mar, eles usaram de todo conhecimento da região e da experiência, conseguindo concluir a missão. Graças às ações seguras e assertivas, Márcio e Abreu salvaram vidas e evitaram graves danos a estruturas de cais e instalações de petróleo, com a possiblidade de um grande acidente ecológico, com derramamento de óleo.

 

O resultado saiu no dia 10 de setembro de 2020 e foi recebido com muito entusiasmo na Praticagem de São Paulo. Bruno Tavares, Presidente da Praticagem, diz que a premiação é motivo de orgulho: “Com esse reconhecimento, a comunidade internacional destaca a importância de nossa atividade como essencial para o interesse público na coordenação eficiente do tráfego marítimo e em todo gerenciamento de riscos inerentes à navegação em águas restritas. Nossos práticos enfrentaram condições desafiadoras, mas conseguiram manter a calma e realizar os procedimentos corretos para uma operação inédita na salvaguarda de vidas humanas e proteção do meio ambiente”.