Praticagem do Brasil doa R$ 10,2 milhões contra a Covid-19 em todo o país

12:01


Serviço essencial por lei federal, a praticagem é a primeira a embarcar em navios que chegam de diversas partes do mundo. Mesmo diante do risco de contaminação por coronavírus a bordo, práticos seguem recomendações da Anvisa e continuam cumprindo a missão de conduzir embarcações sem acidentes na entrada e saída dos portos, pois o transporte marítimo não pode parar. A atividade portuária é fundamental para a economia e o abastecimento da população, sendo responsável por 95% das cargas importadas e exportadas pelo país, de equipamentos hospitalares e medicamentos a alimentos, combustíveis e a soja do agronegócio.

A praticagem, no entanto, também vem fazendo a sua parte para amenizar os efeitos da pandemia da Covid-19 e ajudar o Brasil a sair logo da crise. Seja por iniciativa individual dos 635 práticos brasileiros ou das empresas de praticagem das quais são sócios, já foram doados R$ 10,2 milhões beneficiando mais de 40 instituições e áreas carentes em 18 estados onde a atividade presta serviço.

Entre os itens doados estão: 11 leitos de UTI; dezenas de equipamentos hospitalares, incluindo respiradores; 500 mil equipamentos de proteção individual (EPIs); milhares de litros de álcool em gel; e seis mil cestas básicas.

Em Vitória (ES), por exemplo, a praticagem contribuiu para viabilizar dez leitos de UTI na Santa Casa. O Hospital Regional de Santarém (PA) recebeu um aparelho de raios X transportável. Já o Hospital Naval de Recife (PE) ganhou um sistema de vácuo para aspirar secreções respiratórias.


Em Rio Grande (RS), foram doados 1.700 macacões para enfermeiros e médicos do Hospital Universitário. No município de Itacoatiara (AM), o diretor do Hospital Regional José Mendes agradeceu a doação de 15 mil pares de luvas, 50 litros de álcool em gel, mil toucas descartáveis e mil máscaras.


– Somos polo de assistência do Médio Amazonas e recebemos pacientes de vários municípios, até de Manaus (distante quatro horas). Agradeço muitíssimo a parceria. A palavra neste momento é cooperação e estamos buscando qualquer apoio possível.


Além das ações de solidariedade das empresas de praticagem e de seus práticos, o Conselho Nacional de Praticagem (Conapra) incentivou e arrecadou doações entre os profissionais que atuam nas 21 zonas de praticagem brasileiras.


– A praticagem é uma atividade privada e acredita que todos que podem devem fazer a sua parte. Sempre apoiamos a comunidade local e não poderíamos faltar nesta situação. A responsabilidade com a sociedade é nossa missão. Apesar do risco de contaminação, continuamos embarcando protegidos com EPIs para conduzir os navios sem acidentes na chegada e saída dos portos. Dessa forma, protegemos o meio ambiente e a população da poluição nos mares e rios, ao mesmo tempo em que garantimos o funcionamento da economia e o abastecimento por meio do transporte marítimo – diz o presidente do Conapra, prático Ricardo Falcão.

Veja algumas instituições beneficiadas

Hospital Regional de Itacoatiara (AM): 15 mil pares de luvas, 50 litros de álcool em gel, 1000 toucas e 1000 máscaras.
Hospital Estadual de Santana / Hospital de Emergência do Amapá / Unidade Básica de Saúde Lélio Silva / Posto de Atendimento Infantil de Macapá / Instituto de Administração Penal do Amapá / Corpo de Bombeiros / Polícia Militar (AP): 24 mil toucas, 300 aventais, 150 litros de álcool gel, 100 máscaras N95, 48 mil pares de luvas de procedimento.
Hospital Regional de Santarém (PA): aparelho de raios X transportável e unidade digitalizadora.
Associação Anjo Rafael (CE): Distribuição de cestas básicas e quentinhas.
Hospital Naval de Recife (PE): sistema de vácuo para aspirar secreções respiratórias.
SAMU (PE): 500 macacões doados.
Sindicato dos Estivadores nos Portos de Pernambuco (PE): 232 cestas básicas mensais por três meses.
Obras Sociais Irmã Dulce (BA): doação para compra de material para unidades de saúde do Complexo Roma.
Hospital das Clínicas (BA): aquisição de máquina para confeccionar máscaras cirúrgicas, EPIs e material para equipar ambulatórios e UTI.
Hospital Naval de Salvador (BA): aquisição de material para equipar UTIs.
Santa Casa de Vitória (ES): viabilização de dez leitos de UTI.
Fundo Social de Solidariedade de Santos (SP): produção de cinco mil máscaras para famílias em vulnerabilidade social.
Hospital de campanha em São Francisco do Sul (SC): doações para montagem da unidade, como colchões e travesseiros hospitalares, suportes de soro e mesas.
Hospital Universitário de Rio Grande (RS): 1.700 macacões para enfermeiros e médicos.
Policlínica Naval de Rio Grande (RS): doação em espécie.
Santa Casa de Rio Grande (RS): 10 mil máscaras e 800 máscaras N95.
Sobre a praticagem

A praticagem é o serviço que conduz os navios na entrada e saída dos portos. O trabalho é realizado a bordo pelo prático, profissional com conhecimento local e específico de manobras em áreas restritas à navegação. O objetivo é evitar acidentes que podem causar grave poluição ambiental, mortes e danos ao patrimônio público e privado, além interromper o funcionamento portuário, prejudicando o abastecimento e a economia. Devido à sua importância, o serviço é considerado essencial por lei federal, devendo estar disponível 24 horas aos donos dos navios (armadores), durante todos os dias do ano. No Brasil, existem 21 zonas de praticagem obrigatórias, estabelecidas pela Marinha. Em cada uma dessas áreas, os práticos estão organizados em empresas e existe uma escala de rodízio única de trabalho. Os profissionais são selecionados em processo seletivo público realizado também pela Marinha.

Fonte: Conselho Nacional de Praticagem _ CONAPRA

Navio de Assistência Hospitalar “Tenente Maximiano” presta atendimento emergencial a ribeirinho

18:16


A equipe médica do Navio de Assistência Hospitalar “Tenente Maximiano”, subordinado ao Comando da Flotilha de Mato Grosso, prestou atendimento emergencial na região do Porto Formigueiro, a 50 quilômetros do município de Corumbá-MS, no dia 12 de maio.

O navio foi acionado por um casal de idosos quando regressava de uma ação realizada durante uma semana em prol das famílias ribeirinhas do Baixo Pantanal.




O atendimento foi prestado a um homem que caiu de uma árvore dois dias antes, no dia 10 de maio. Ele apresentava hematoma no olho esquerdo e queixava-se de fortes dores na cabeça e na nuca.

Após exames e procedimentos emergenciais no local, verificou-se suspeita de hemorragia interna e fratura do esterno. A evacuação médica encerrou-se com o encaminhamento do paciente à Santa Casa de Corumbá.

Comando do 6º Distrito Naval apoia Operação “Verde Brasil 2”

12:25

Aeronave está apoiando ações do Comando Conjunto Barão de Melgaço
 
O Comando do 6º Distrito Naval (Com6ºDN) está apoiando, por meio do 1º Esquadrão de Helicópteros de Emprego Geral do Oeste (EsqdHU-61), a Operação “Verde Brasil 2”. Uma aeronave UH-12 deslocou-se, no dia 10 de maio, até Cuiabá, para prestar apoio ao Comando Conjunto Barão de Melgaço, que atua em Mato Grosso.
 
A operação teve início no dia 11 de maio e visa o combate ao desmatamento ilegal e focos de incêndio na região amazônica, por meio de ações preventivas e repressivas contra delitos ambientais.
 
A autorização para emprego das Forças Armadas para a Garantia da Lei e da Ordem e para ações subsidiárias vai de 11 de maio a 10 de junho. As ações vão ocorrer na faixa de fronteira, nas terras indígenas, nas unidades federais de conservação ambiental e em outras áreas federais nos estados da Amazônia Legal.
 
Os meios utilizados pelas Forças Armadas são acrescidos aos dos demais integrantes parceiros da missão: Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Ibama, ICMbio, Fundo Nacional de Segurança Pública, Abin e Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia. O início das atividades envolve deslocamento de pessoal, reconhecimento das áreas de atuação, preparação dos meios e materiais necessários e ações efetivas de combate ao desmatamento.

Fonte; Marinha do Brasil

Capitania dos Portos da Amazônia Oriental atua no combate ao novo coronavírus, em Belém-PA

05:52

Equipe de inspeção naval distribui material informativo
 sobre medidas para evitar a Covid-19
 
Militares da Capitania dos Portos da Amazônia Oriental (CPAOR) realizaram, no dia 5 de maio, em Belém-PA, orientações práticas sobre as medidas preventivas de segurança e combate ao novo coronavírus por meio de ações de conscientização e entrega de panfletos. A atividade teve como propósito levar informações de utilidade pública para prevenir e evitar o avanço da pandemia na Região Metropolitana da capital paraense e nas comunidades ribeirinhas.
 
O evento ocorreu em aproveitamento de inspeções navais, no Porto Foca, onde tripulantes e passageiros de embarcações também foram instruídos sobre a importância da segurança da navegação, salvaguarda da vida humana nas águas e o combate ao acidente de escalpelamento, estimulando a edificação da mentalidade fluvial voltada para a segurança das embarcações, de seus tripulantes e passageiros.
 
Em embarcação, militar da Capitania orienta passageiros

Fonte: Marinha do Brasil

Praticagem do Espírito Santo resgata do mar tripulantes de plataforma

10:49



A Praticagem do Espírito Santo salvou três tripulantes que caíram no mar durante a desatracação da plataforma SSV Victoria do Estaleiro Jurong Aracruz, no dia 29 de abril.

Quando a plataforma estava para vencer o quebra-mar, quatro tripulantes que deram apoio à operação de amarração desceram à base para buscar material de marinharia. Nesse momento, uma onda varreu o flutuante jogando três deles na água.

Em poucos minutos, a tripulação da lancha de prático recolheu os homens do mar. Eles foram levados de volta ao estaleiro, já que o reembarque era arriscado e não cabia à praticagem.

– Nosso treinamento funcionou muito bem. Todos foram recolhidos sem atropelo e confusão – disse o secretário executivo da Praticagem do Espírito Santo, Gilson Victorino.

Apesar de a atitude ser um dever de todo homem do mar, os tripulantes da lancha receberão uma menção honrosa da entidade.






Fonte: maio de 2020/por Conapra