Praticagem da Barra do Rio Grande colabora com a soltura de pinguns reabilitados a três milhas náuticas da costa

11:00


O Centro de Recuperação de Animais Marinhos (CRAM-FURG) da Universidade Federal do Rio Grande (FURG) realizou nesta quarta-feira, 29, mais uma soltura de pinguins reabilitados, em Rio Grande, na costa gaúcha. Foram seis pinguins reabilitados.



Esses animais migram anualmente para o litoral nos meses de outono/inverno. Os animais foram encontrados entre o Parque Nacional da Lagoa do Peixe e a Barra do Chuí e estavam situação de vulnerabilidade: magros, fraco ou com troca de penas.

A soltura ocorreu com o apoio da Praticagem da Barra do Rio Grande, que cedeu as embarcações para que a equipe do CRAM-FURG pudesse chegar a três milhas náuticas da costa, local em que os animais puderam partir para encontrar outros de sua espécie que estão em processo de migração, para assim conseguirem concluir seu ciclo natural.

Fonte: Praticagem da Barra do Rio Grande
Fotos Guga Volks

Vice-Almirante Cursino assume Diretoria de Portos e Costas (DPC)

14:03



O Vice-Almirante Alexandre Cursino de Oliveira é o novo diretor da Diretoria de Portos e Costas (DPC). Cursino tem uma longa carreira na Marinha do Brasil, que teve início em 1987 como guarda-marinha.

O Vice-Almirante é Mestre em Ciências Navais (Escola de Guerra Naval - 2004) e Bacharel em Ciências Navais (Escola Naval - 1987)

O presidente da República Jair Messias promoveu o, então contra-almirante Alexandre Cursino de Oliveira, como Vice-Almirante e também o nomeou como novo diretor da DPC. A nomeação foi publicada no Diário Oficial, edição de 16 de março, para validação a partir de 31 de março de 2020.



Devido a pandemia da Covid-19 (Coronavírus) não foi realizada a cerimônia de transmissão de cargo, que foi realizada no dia 17 de abril.




Tribunal Marítimo realiza primeira sessão de julgamento por videoconferência

12:02

Transmissão da primeira Sessão de Julgamento por videoconferência no canal do Tribunal Marítimo no YouTube
Primeira Sessão de Julgamento por videoconferência do Tribunal Marítimo.

No dia 22 de abril, o Tribunal Marítimo (TM) realizou a primeira Sessão de Julgamento por videoconferência em seus 85 anos de história. A iniciativa tem o objetivo de dar continuidade aos julgamentos enquanto perdurar o estado de emergência pelo COVID-19.

Na abertura, o Juiz-Presidente do Tribunal Marítimo, Vice-Almirante Wilson Pereira de Lima Filho prestou homenagem ao Ex-Diretor-Geral da Secretaria do TM, Dr. Manoel Machado dos Anjos, falecido no último dia 17 vítima do COVID-19, o qual exerceu com maestria sua função no TM no período de 04 de julho de 1991 a 15 de agosto de 2014.

A realização dos julgamentos por videoconferência foi estabelecido pela Portaria Nº 20, de 08 de abril de 2020 e a convocação de novas Sessões se dará a critério do Juiz-Presidente e será garantido pleno acesso e participação ao Representante da Procuradoria Especial da Marinha e aos advogados das partes. A publicidade da sessão está garantida por sua transmissão ao vivo pelo canal do TM no Youtube.

Aos advogados será garantido o acesso ao ambiente virtual de transmissão para, remotamente, fazerem uso da palavra para a sustentação oral e para esclarecerem eventuais questões de fato. O patrono que tiver interesse deverá cumprir os requisitos do documento, entre eles se inscrever mediante envio de formulário anexo à Portaria, disponibilizado no sítio eletrônico do TM no endereço www.marinha.mil.br/tm. Também haverá uma sala no TM com infraestrutura para sustentação oral por videoconferência.

Fonte: Tribunal Marítimo

22 de abril - Dia da Ciência, Tecnologia e Inovação da Marinha

11:39




22 de abril - Dia da Ciência, Tecnologia e Inovação da Marinha


Soberania pela Ciência! Inspirados pelo lema, pesquisadores e instituições científicas da Marinha contribuem para o desenvolvimento tecnológico nacional construindo a Força Naval do amanhã: Avançada, dinâmica e atuante.



“O desenvolvimento científico e tecnológico está intimamente ligado com a prosperidade do País e o principal objetivo é investir no potencial humano", Almirante Álvaro Alberto, Patrono da CT&I da Marinha do Brasil.

 Fonte: Marinha do Brasil

Praticagem quer segurança para evitar propagação do vírus

14:39

Os práticos diariamente estão expostos aos riscos de contágio com tripulantes de navios que atracam e desatracam nos portos de Santos e São Sebastião. Mesmo com toda proteção e tomando os cuidados necessários, eles temem ser vetores da transmissão do Covid





Chuva, vento, marés altas e outras condições adversas fazem parte dos desafios enfrentados diuturnamente pelos práticos para realizar as manobras dos navios nos portos de Santos e São Sebastião. Nos últimos tempos, há um novo e perigoso inimigo invisível: o Covid-19. E a ameaça ficou mais evidente com as constantes manobras dos navios de cruzeiro que foram recebidos humanitariamente no porto santista, com tripulantes e passageiros contaminados pelo vírus. Só o Costa Fascinosa, que está em quarentena, já foi manobrado quatro vezes.
Os práticos fazem cerca de 32 manobras diárias em Santos. Eles são os primeiros a entrar em embarcações que chegam de diversos locais do mundo e, mesmo com todos os equipamentos de proteção e cuidados, sabem que correm o risco de contaminação pelo covid-19 e a possiblidade de se transformarem em vetores da doença.
Serviço essencial por lei, a Praticagem do Brasil continua cumprindo a missão de conduzir embarcações com segurança, mesmo quando há casos suspeitos da Covid-19 no navio em que embarcam. Seguindo as recomendações do governo para que o transporte marítimo não pare e mantenha o abastecimento, nem sempre é possível seguir as regras básicas de prevenção, pois muitas situações estão fora do controle dos Práticos.”
O afastamento de, pelo menos, dois metros entre práticos e tripulantes de navios estrangeiros é uma regra difícil de ser cumprida, segundo o presidente da Praticagem de São Paulo, Carlos Alberto de Souza Filho. O tema é sério e será levado pelo Conselho Nacional de Praticagem à Comissão Nacional das Autoridades dos Portos (Conaportos).
Souza Filho explica que manter distância de comandantes e da tripulação é inexequível. Como responsáveis por orientar os oficiais dos navios nas manobras de atracação e desatracação, eles utilizam áreas comuns dos navios, como escadas, elevadores e equipamentos, sendo os primeiros a terem contato com as tripulações estrangeiras. “A proximidade com comandantes e alguns tripulantes é frequente”, ele garante.
Em março, a Praticagem solicitou à Anvisa a mudança do protocolo para entrada em navios com casos suspeitos a bordo. Esse documento, chamado de livre prática, libera a possibilidade para que o navio possa entrar ou sair, operar carga, receber e desembarcar passageiros. A solicitação era para que o navio ficasse em um fundeadouro até que os técnicos da Anvisa subissem a bordo para verificar as condições sanitárias.
A situação, segundo o Presidente da Praticagem, não mudou: “A Anvisa se recusa a entrar a bordo para conceder ou não a livre prática, como determina o regulamento internacional. “Nesse momento, todo e qualquer navio apresenta um nível de risco, mas o QUE acontece hoje em dia é uma guerra de papel. O comandante alega que não tem problema nenhum e atraca, para evitar problemas com os armadores ou que seu navio entre em quarentena, e quinze minutos depois diz que tem alguém com sintomas. Mesmo com tripulantes doentes, a Anvisa dá a livre prática e nós temos que ir lá e fazer a manobra”.
Cuidados
A Praticagem intensificou e especificou procedimentos com todo o pessoal e instalações. Na Ponte, as lanchas estão sendo higienizadas com uma solução em spray de água sanitária e água, em cada saída e em cada volta.  Nas manobras, os práticos embarcam com luvas de látex e máscaras. Nos navios em que há suspeita ou confirmação de Covid 19, em passageiros ou tripulantes, os práticos usam a roupa completa de proteção.
A segurança a bordo é relativa, como explica Souza Filho: “Em relação aos navios de passageiros, alguns não têm nenhuma informação de pessoas infectadas e outros têm. Os navios ficam fundeados lá fora em quarentena, mas várias pessoas já saíram para o hospital e há muitos ainda infectados a bordo em tratamento. Cada vez que o navio atraca para trazer tripulantes para tratamento, para abastecer ou buscar alimentos, os práticos são chamados para as manobras”.
Esses navios entram e atracam para abastecimento de gêneros e desembarque de tripulantes que estão tentando voltar para seus países de origem, quando isso é permitido e quando as empresas conseguem passagens. Atualmente, por exemplo, Índia e Filipinas proibiram a entrada até seus nacionais vindos do Exterior.
O Presidente da Praticagem conta que eles embarcam em navios que estão vindo da Itália, Espanha, China e outros países. “O que temos observado é que as empresas de navegação melhoraram muito a preocupação por parte do pessoal de bordo, uma grande parcela está usando máscaras também. Mas muitos não estão usando, o que sempre é um risco”.
Durante as manobras, os práticos levam frasco de álcool gel para as mãos, passam nas luvas e nos equipamentos como o handset do rádio, por exemplo. “Estamos tentando nos proteger”, afirma.
Souza Filho tem conhecimento de que, até o momento, dois práticos, um de Vitória e um de São Luís contraíram a doença, foram internados e já receberam alta. Ao contrário de outras profissões, práticos com mais de 60 anos continuam trabalhando. A Marinha flexibilizou as regras de números mínimos de qualificação para os práticos com mais de 60 anos. Em Santos e São Sebastião, apenas um prático pediu licença.

Fonte : Praticagem de São Paulo

Em tempo de Coronavirus, a praticagem está fretando aviões menores para os práticos conseguirem chegar até as lanchas que os transportam aos navios.

11:56



Para continuar atendendo aos Armadores no Norte do país, a praticagem está fretando aviões menores para os práticos conseguirem chegar até as lanchas que os transportam aos navios. 

Normalmente, esse deslocamento é feito nos grandes voos comerciais, em falta desde o #coronavírus

O Ministério da Infraestrutura já está ciente do problema e em busca de soluções. O presidente da Praticagem do Brasil, Ricardo Falcão, aproveitou videoconferência com o Secretário Nacional de Portos e Transportes Aquaviários, Diogo Piloni, para reforçar o relato.

Fonte: Praticagem do Brasil

COVID 19 - Praticagem do Brasil continua cumprindo com profissionalismo

13:17

Serviço essencial por lei, a Praticagem do Brasil continua cumprindo com profissionalismo a missão de conduzir embarcações sem acidentes em todo o país. Mesmo quando há casos suspeitos da Covid-19 no navio, o prático vai a bordo para garantir a sua movimentação segura, obviamente seguindo todas as recomendações sanitárias da Anvisa para que o transporte marítimo não pare e mantenha o abastecimento da economia e da população.
Exemplo disso ocorreu no porto de Vila do Conde, no Pará, onde se encontra fundeado o petroleiro Falcon Maryan, com tripulantes suspeitos de contraírem a doença. No dia 30, o prático escalado para atracar o navio foi informado, na lancha a caminho do embarque, que havia tripulantes com sintomas do coronavírus. Como a embarcação já estava em direção ao terminal e tinha o certificado da Anvisa, foi autorizada a atracação. Foram, então, adotadas todas as precauções, como o uso de equipamentos de proteção individual; a permanência do prático somete no exterior do passadiço durante a manobra; e, após o desembarque, a descontaminação do prático e da tripulação da lancha de praticagem, que também foi higienizada.
No dia 1º de abril, após o descarregamento e entrevistas da Anvisa, a Agência Marítima responsável escalou o navio para desatracação e novo fundeio, a fim de cumprir quarentena enquanto os exames não ficarem prontos. Mais uma vez, a praticagem foi a bordo e prestou o serviço seguindo os protocolos de saúde das autoridades. O trabalho integrado com a Agência, a Autoridade Portuária, a Anvisa e o Comitê de Crise foi elogiado pela Capitania dos Portos
Fonte: Praticagem do Brasil.

Terminal salineiro de Areia Branca, Rio Grande do Norte.

12:51








Terminal salineiro de Areia Branca, Rio Grande do Norte. Sua localização impõe desafios naturais à praticagem. O regime de marés limita os intervalos para a passagem das embarcações. 

E os ventos, de moderados a muito fortes, influenciam nas manobras dos navios. Do litoral do estado, vem 95% do sal produzido no país.


Fonte; Praticagem do Brasil

Giro na nova bacia de evolução do Porto de Itajaí (SC)

12:39





Giro na nova bacia de evolução do Porto de Itajaí (SC), que vai permitir a entrada de navios de até 350 metros. Com participação da praticagem tanto na definição do local quanto nos estudos e nas simulações realizados, foram concluídas as 12 manobras especiais de entrada e saída na área. 

Dos 17 Práticos que atuam na Zona de Praticagem de Itajaí e Navegantes (ZP 21), 12 fizeram treinamento na Holanda para atender à demanda por embarcações maiores. Os outros cinco foram qualificados durante o acompanhamento das manobras de teste, segundo regras estabelecidas pela Marinha do Brasil.


 

foto: Prático Alexandre Rocha @ Porto de Itajaí
Fonte: Praticagem do Brasil

Tribunal Marítimo ajusta as velas e segue adiante. Todos juntos na luta contra o novo Coronavírus !

13:44

por Almirante Lima Filho -
juiz presidente do Tribunal Marítimo
Neste momento em que enfrentamos um estado de emergência em decorrência do Covid-19, o Tribunal Marítimo (TM) tomou uma série de medidas para evitar o contágio e a sua proliferação. Uma  parte significativa do seu efetivo está em teletrabalho, foram suspensos os prazos processuais, as sessões ordinárias e audiências presenciais. Todas as ações recomendadas pelas autoridades competentes foram implementadas. 


Foi prorrogado o prazo de validade de certificados, como CRA, PRÉ-REB e REB, publicado pela a portaria 17/2020. Com os devidos ajustes, os processos internos estão em andamento, muitas reuniões são realizadas pela internet e a Corte Marítima se prepara para realizar, de forma pioneira, sessões ordinárias por videoconferência. Alinhado com o Comando da Marinha e na esteira  do Poder Judiciário, o TM não parou,  apenas ajustou  as velas e segue trabalhando em prol da justiça e segurança da navegação. Como diz o velho marinheiro, depois da tempestade vem a calmaria. Sigamos juntos, com sabedoria, fé e perseverança! Vai dar tudo certo, é uma questão de tempo!



Fonte: por Almirante Lima Filho - juiz presidente do Tribunal Marítimo (linkedin)