Instituto Oceanográfico da USP tem duas oportunidades de Bolsa da FAPESP

14:21

O Projeto Temático “Variabilidade Interanual dos transportes através da rede transatlântica SAMOC (SAMBAR)”, conduzido no Instituto Oceanográfico da USP, tem duas oportunidades com Bolsa da FAPESP. O prazo de inscrição se encerra no dia 31 de março de 2018.
Uma das vagas é de doutorado direto e a outra, de pós-doutorado, para participar de pesquisa sobre impactos de mudanças globais nos oceanos (imagem: NOAA)
O projeto SAMBAR tem por objetivo melhorar o entendimento das variabilidades interanuais do conteúdo de calor e transportes meridionais pela latitude 34.5S, seção zonal referida como SAMBA (SAMOC Basin-wide Array).
O projeto investiga impactos de mudanças globais nos oceanos e as respostas de alterações na circulação do Atlântico Sul sobre o clima regional e na estabilidade da circulação de revolvimento meridional.â?¯
Uma das vagas é de pós-doutorado e exige um candidato com doutorado em Oceanografia Física ou em campo correlato. O selecionado participará de cruzeiros para desenvolver observações oceânicas e analisar dados e resultados de modelos para estudar processos físicos oceânicos.
Mais informações sobre a vaga estão disponíveis em www.fapesp.br/oportunidades/1916.
A vaga está aberta a brasileiros e estrangeiros. O selecionado receberá Bolsa de Pós-Doutorado da FAPESP no valor de R$ 7.174,80 mensais e Reserva Técnica. A Reserva Técnica de Bolsa de PD equivale a 15% do valor anual da bolsa e tem o objetivo de atender a despesas imprevistas e diretamente relacionadas à atividade de pesquisa. Mais informações sobre a Bolsa de Pós-Doutorado da FAPESP estão disponíveis em www.fapesp.br/bolsas/pd.
A outra oportunidade é de doutorado direto e o candidato deve ter bacharelado em Oceanografia, Física, Matemática, Ciência Atmosférica, Engenharia ou qualquer outro campo correlato.
O objetivo principal é entender a variabilidade da SAMOC, escalas de sazonal a decadal, em resposta a índices climáticos remotos, como o El Niño-Southern Oscillation (ENSO), Pacifico Decado Oscillation (PDO) e Antarctic Oscillation (AAO).
Mais informações sobre a vaga estão disponíveis em www.fapesp.br/oportunidades/1917.
Para o desenvolvimento desse projeto, o selecionado receberá Bolsa de Doutorado Direto da FAPESP, com duração de 48 meses e valor mensal de R$ 1.988,10 no primeiro ano, R$ 2.110,20 no segundo ano, R$ 2.929,80 no terceiro ano e R$ 3.626,10 no quarto ano. Um auxílio financeiro equivalente a 30% do valor anual da bolsa será concedido para despesas diretamente relacionadas às atividades de pesquisa. Os requisitos e benefícios estão disponíveis em www.fapesp.br/bolsas/dd
Para ambas as vagas, as inscrições devem ser feitas enviando e-mail para o professor coordenador do projeto, Edmo José Dias Campos ().
Outras vagas de bolsas, em diversas áreas do conhecimento, estão no site FAPESP-Oportunidades, em www.fapesp.br/oportunidades

Projeto CAPES/IODP é finalista do Ocean Awards 2018

14:20

(Brasília - CCS/CAPES – com informações da UFRJ)
A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'CCS/CAPES’

O projeto Amazon Reef Science, coordenado pelo professor Fabiano Thompson, do Programa de Engenharia de Produção do Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa de Engenharia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (COPPE/UFRJ), foi escolhido como finalista do prêmio Ocean Awards 2018, na categoria Ciência. O trabalho levou à descoberta de um extenso sistema de recifes na foz do rio Amazonas, ampliando o conhecimento acerca da riqueza da biodiversidade amazônica e mudando a compreensão sobre a formação de recifes em condições subótimas. Os vencedores das cinco categorias da premiação serão anunciados em julho, na edição da revista Boat International.
O trabalho levou à descoberta de um extenso sistema de recifes na foz do rio Amazonas (fotos: divulgação)
O professor Thompson lidera uma equipe que pesquisa uma das maiores – e menos conhecidas – riquezas da Amazônia brasileira, o enorme recife de corais localizado na foz do rio Amazonas. Em 2016, os pesquisadores brasileiros conseguiram descrever este extenso sistema de recifes, após uma expedição que contou com financiamento da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e da Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (Faperj) e colaboração do Greenpeace. O bioma, recém-descoberto, tem uma área estimada em 56 mil km².
Como afirmava o professor à época da descoberta, a margem equatorial é uma das regiões menos estudadas do ambiente marinho brasileiro, apesar do crescente interesse industrial pela região nos últimos anos. “Grandes petroleiras estão prospectando óleo e gás na região nas proximidades do novo bioma recifal marinho. O estudo traz conhecimento básico e aplicado para ser considerado pela indústria (ex. óleo e gás), agências de proteção ambiental, comunidades locais e academia, visando o uso sustentável dos recursos marinhos.”
O projeto faz parte do programa International Ocean Drilling Program (IODP) que tem como objetivo investigar a história e a estrutura da Terra, a partir de pesquisas oceanográficas.
Como afirma o professor, a margem equatorial é uma das regiões menos estudadas do ambiente marinho brasileiro, apesar do crescente interesse industrial pela região nos últimos anos (fotos: divulgação)
Além de Thompson, a equipe conta com Eduardo Siegle, da Universidade de São Paulo (USP); Ronaldo Francini, da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) e Nils Asp, da Universidade Federal do Pará (UFPA). Também contribuíram para o projeto os professores Carlos Rezende, da Universidade Estadual do Norte Fluminense (UENF) e Alberto Figueiredo, da Universidade Federal Fluminense (UFF).
Os outros finalistas da categoria Ciência do Ocean Awarads são os pesquisadores Ben Halpern (do National Centre for Ecological Analysis and Synthesis - NCEAS); David Obura, (Coastal Oceans Research and Development in the Indian Ocean - Cordio); e Ove Hoegh-Guldberg (Global Change Institute, University of Queensland). Confira neste link.
IODP/CAPES
O IODP é um programa internacional de pesquisas marinhas que investiga a história e a estrutura da Terra a partir do registro em sedimentos e rochas do fundo do mar, além de monitorar ambientes de sub-superfície.
Além de Thompson, o projeto é composto por professores de cinco universidades de diferentes regiões do Brasil (fotos: divulgação)
Parte significativa da comunidade científica atuante em ciências do mar de águas profundas de diversos países está envolvida no programa. Desde 2013, o Brasil, por meio de financiamento viabilizado pela CAPES, é membro do consórcio JOIDES Resolution e colabora com o IODP. Para executar as atividades previstas no Programa, a CAPES conta com o apoio de um Comitê Científico e um Comitê Executivo.
Expedições do IODP usam avançada tecnologia de perfuração oceânica, de modo a permitir disseminação de dados e amostras a partir de arquivos globais, particularmente para os países membros do programa.
O sistema de perfuração é apoiado por um parque analítico a bordo do Navio de Pesquisa JOIDES Resolution, composto por equipamentos de última geração voltados a pesquisa geofísica, geoquímica, microbiológica e paleoclimática. Além da infraestrutura a bordo, o IODP conta com apoio de numerosas instituições de pesquisa e formação de recursos humanos nos diferentes países que atualmente compõem o programa.
Conheça a página do Programa CAPES/IODP
Acompanhe o Diário de Bordo CAPES/IODP

Operação Ágata é realizada na Amazônia Ocidental

14:02

NPaFlu Raposo Tavares durante participação na Operação Ágata 2018
 
No período de 16 a 21 de março, o Comando do 9º Distrito Naval (Com9ºDN), empregando o Navio-Patrulha Fluvial (NPaFlu) Raposo Tavares com um Destacamento Aéreo Embarcado (DAE), um Destacamento de Fuzileiros Navais e duas Lanchas de Apoio ao Ensino e Patrulha Regionais das Agências Fluviais de Humaitá (AgHumaitá) e de Itacoatiara (AgItacoatiara), participou da Operação Ágata 2018, no Rio Madeira, entre os municípios de Borba e Novo Aripuanã (AM).
 
Coordenada pelo Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas (EMCFA) do Ministério da Defesa, a Operação Ágata  é uma operação interagências e tem como propósito intensificar a presença do Estado na Faixa de Fronteira, conforme estabelecido no Programa de Proteção Integrada de Fronteiras (PPIF). Nesta operação, houve a participação da Polícia Federal (PF), do Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM) e da Agência Brasileira de Inteligência (ABIN).
 
Durante a Operação, foram realizadas atividades de Inspeção Naval (IN), Patrulha Naval (PatNav) e ações de patrulhamento, que contribuíram para o combate à realização de atividades criminosas e ilegais e para a prevenção, fiscalização e repressão aos delitos ambientais. Nesse período foram realizadas 126 abordagens, duas apreensões, dois apresamentos e 11 notificações a embarcações.

Capitania dos Portos da Amazônia Oriental - inaugura posto de fiscalização para intensificar inspeções navais em Barcarena

13:58


No dia 26 de março, a Capitania dos Portos da Amazônia Oriental (CPAOR) inaugurou o Posto Avançado de Fiscalização, localizado no Furo do Arrozal em Barcarena (PA), para intensificar as ações de inspeção naval nas embarcações que trafegam pela área, principalmente aquelas que transportam passageiros. Além disso, o posto vai permitir ação de apoio mais rápido contra possíveis acidentes de navegação no rio Pará.



As inspeções vão ser realizadas com a ajuda de uma embarcação de apoio e uma equipe composta por militares da CPAOR, que estão permanentemente de prontidão neste local todos os dias. 

A Marinha do Brasil pede que a sociedade participe ativamente no esforço de fiscalização, informando qualquer situação que possa afetar à segurança da navegação, a salvaguarda da vida humana no mar e vias navegáveis ou que represente risco de poluição ao meio hídrico, por meio do Disque Emergências Marítimas e Fluviais: 185 - (91) 3218-3950 ou (91) 99114-9187 (aplicativo de mensagem instantânea).

Professor Yamazaki da TUMSAT no IOUSP em Ubatuba e São Paulo

12:14


O Instituto Oceanográfico da USP recebeu, de 5 a 15 de março de 2018, a visita do ilustre professor Hidekatsu Yamazaki, da Tokyo University of Marine Science and Technology (TUMSAT), sediada em Tóquio, Japão. O Prof. Yamazaki é oceanógrafo físico e seus estudos buscam compreender como processos físicos de pequena a média escala, como microturbulência e ondas internas, influenciam a distribuição de organismos planctônicos marinhos. As pesquisas do professor têm demonstrado que a variabilidade na distribuição dos organismos ocorre em intervalos de poucos milímetros ao longo da coluna de água e que, portanto, é necessário utilizar abordagens metodológicas adequadas para o estudo dos processos ecológicos e físicos envolvidos.
  A visita do Prof. Yamazaki ocorreu no contexto de um projeto conjunto com o Prof. Rubens Mendes Lopes do Laboratório de Sistemas Planctônicos do Departamento de Oceanografia Biológica do IOUSP, que trata do estudo de camadas finas de plâncton no ambiente costeiro de Ubatuba. Os professores realizaram trabalhos de campo entre 6 e 13 de março na Base de Pesquisas do IOUSP em Ubatuba, SP, a bordo do barco de pesquisa Veliger II, juntamente com os doutorandos Silvana Batista Penninck (IOUSP) e Mamoru Tanaka (TUMSAT), a mestranda Alessandra Gomes (IOUSP), o programador Leandro Ticlia de la Cruz e as bolsistas de iniciação científica do IOUSP Stelamari Yumi Ito e Josiane de Freitas Lima. 

Em seu último dia de estadia, Prof. Yamazaki proferiu palestra na sede do IOUSP (Campus da Capital), sobre o tema “Oceanic turbulence and highly intermittent plankton ecosystems”. Uma nova visita técnica do Prof. Yamazaki ao IOUSP está prevista para o mês de julho de 2018.
Rubens Mendes e Eloisa Maia
26/3/18
iouspcomunica@usp.br
Crédito foto: Luciano Souza (SP)

Livro “Da Armada Real para a Marinha Imperial” é lançado na abertura do Ano Cultural da Marinha

13:35

Livro “Da Armada Real para a Marinha Imperial”, resultado da cooperação entre as Marinhas do Brasil e Portugal
Fruto da parceria entre as Marinhas do Brasil e de Portugal, o livro “Da Armada Real para a Marinha Imperial” foi lançado em 06 de março durante a abertura do Ano Cultural da Marinha, quando foram divulgados os eventos programados para 2018.

Publicada pela Comissão Cultural da Marinha de Portugal, a obra foi organizada pelo Capitão de Mar e Guerra (Refº) José António Rodrigues Pereira, da Marinha Portuguesa, e pelo Capitão de Fragata Pierre Paulo da Cunha Castro, da Diretoria do Patrimônio Histórico e Documentação da Marinha (DPHDM). Colaboraram, também, como autores, os pesquisadores do Departamento de História da DPHDM.

Distribuído em dez capítulos, o livro trata do período compreendido entre a renovação da Armada Real, em 1793, e a consolidação da Marinha Imperial, em 1826, tendo como contexto histórico a transmigração da Família Real e o processo de Independência, apresentando dois entendimentos históricos diferentes, que se complementam para abordar um caso ímpar na História Naval, quando, das unidades e organismos administrativos da metrópole surgiu a Marinha Imperial Brasileira, que lutou pela Independência, contribuindo para a manutenção da integridade territorial da nação independente.

Prefaciado pelo Diretor da Comissão Cultural da Marinha de Portugal, Vice-Almirante Augusto Mourão Ezequiel, e pelo Diretor da DPHDM, Vice-Almirante José Carlos Mathias, a obra consolida os laços entre as duas Marinhas.
Secretário-Geral da Marinha, Almirante de Esquadra Liseo, recebe um exemplar do organizador e autor do livro, Capitão de Fragata Paulo Castro

Velas Latinoamérica 2018 - sete Navios Veleiros estrangeiros e o Navio Veleiro “Cisne Branco”

11:40

O evento reunirá sete Navios Veleiros estrangeiros e o Navio Veleiro “Cisne Branco”, que estarão atracados entre os armazéns 1 e 7 do Cais do Píer Mauá.
 
  • O público poderá visitar gratuitamente os Grandes Veleiros de segunda-feira (26 de março) até sexta-feira (30), das 13h às 17h30, e sábado (31 de março) das 13h às 18h30.
  • Na etapa brasileira, será realizado um Desfile Naval na chegada ao Rio de Janeiro, no dia 25 de março, com os navios passando em frente às praias da Barra da Tijuca, São Conrado, Leblon, Ipanema e Copacabana.
  • O evento se repete no encerramento, dia 1º de abril, quando os navios partem com destino a Montevidéu, no Uruguai.
  • No dia 31 de março, às 17h30, haverá uma apresentação da Banda do Corpo de Fuzileiros Navais aberta ao público, na Praça Mauá.

NAVIO VELEIRO "CISNE BRANCO"
BRASIL
Incorporado: 2000
Comprimento: 76 m
Calado: 4.8 m
Mastros: 3
Deslocamento: 1,038 Ton


NAVIO "FRAGATA LIBERTAD"
ARGENTINA
Incorporado: 1956
Comprimento: 103,75 m
Calado: 6 m
Mastros: 3
Deslocamento: 3.765 Ton


NAVIO ESCOLAR "ESMERALDA"
CHILE
Incorporado: 1953
Comprimento: 113 m
Calado: 7 m
Mastros: 4
Deslocamento: 3.673 Ton


NAVIO "GLORIA"
COLÔMBIA
Incorporado: 1967
Comprimento: 67 m
Calado: 4.8 m
Mastros: 3
Deslocamento: 1,300 Ton


NAVIO "JUAN SEBASTIÁN DE ELCANO"
ESPANHA
Comprimento: 113,1 metros.
Calado: 7 metros
Mastros: 4
Deslocamento: 3.770 Ton

NAVIO "SIMON BOLIVAR"
VENEZUELA
Incorporado: 1979
Comprimento: 82,4 m
Calado: 4,4 m
Mastros: 3
Deslocamento: 1.260 Ton


NAVIO "CUAUHTÉMOC"
MÉXICO
Incorporado: 1981
Comprimento: 90,5 m
Calado: 5,4 m
Mastros: 3
Deslocamento: 1,800 toneladas

Fonte: Marinha do Brasil

Velas Latinoamérica 2018

08:08

Como resultado do sucesso obtido na "Velas Sudamérica 2010", as marinhas da América Latina concordaram, por ocasião da XXV Conferência Naval Interamericana, realizar uma reunião de grandes veleiros a cada quatro anos, sob o nome de "Velas América Latina". Seu objetivo seria fortalecer os laços de amizade entre as diferentes marinhas e a população dos países e portos visitados. 
"Velas Latinoamérica 2018" convocará um número significativo de grandes veleiros de diferentes partes do mundo, em uma reunião internacional, fortalecendo a irmandade e camaradagem entre as cidades participantes e suas marinhas. Estes veleiros desenvolverão uma viagem de 157 dias, em que as águas que banham as costas da América Latina e do Caribe navegarão, cobrindo mais de 12 mil milhas náuticas, o equivalente a 19.312 quilômetros.
Os navios que fazem parte deste desafio terão a oportunidade de visitar as cidades e portos mais importantes da Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Equador, México, Peru, República Dominicana, Venezuela, Uruguai, Panamá e Curaçao.
A Marinha do Brasil receberá, entre os dias 25 de março e 1º de abril, no Porto do Rio de Janeiro, a etapa brasileira do evento “Velas Latinoamérica 2018.
Serviço: Local: Porto do Rio de Janeiro Data: 25 de março e 1º de abril
Site com mais informações:
https://www.marinha.mil.br/content/velas-latinoamerica-2018 

Marinha do Brasil recebe prêmio por excelência em qualidade

07:56

Prêmio Qualidade Brasil 2018 certificou organizações da Marinha
 
No dia 20 de março, no Clube Sírio em São Paulo, três organizações da Marinha do Brasil receberam o Prêmio Qualidade Brasil 2018 que visa promover a certificação com o “Selo Internacional de Qualidade” para Organizações que se destacam por sua excelência em produtos e serviços.
    
No mesmo evento, o Comandante da Marinha, Almirante de Esquadra Eduardo Bacellar Leal Ferreira, foi homenageado com a outorga do título “Leader Quality”, sendo representado pelo Comandante do 8º Distrito Naval, Vice-Almirante Antonio Carlos Soares Guerreiro.
 
O Centro de Controle Interno da Marinha (CCIMAR) foi premiado pelo “Case de Sucesso” que é a implementação da “auditoria contínua”, prática inovadora, que modernizou a tradicional auditoria interna realizada pelo CCIMAR, sendo atualmente considerada importante ferramenta para as estratégias de acompanhamento de riscos na Marinha do Brasil.
 
A Base de Hidrografia da Marinha em Niterói-RJ, recebeu o prêmio por meio da modernização do Parque Gráfico que está conseguindo otimizar os seus serviços, principalmente nos processos de impressão e distribuição de cartas náuticas. Com esse trabalho, a Base de Hidrografia trouxe uma maior integração com seus clientes que contribui não apenas para divulgar aspectos fundamentais e diferenciados dos serviços oferecidos, mas também constitui-se numa poderosa ferramenta de planejamento da OM.
 
O Centro de Intendência da Marinha em Natal-RN (CeIMNa) também foi agraciado com a "Certificação Qualidade Brasil 2018" por ter apresentado alto índice nos quesitos confiabilidade, eficiência, parceria, seriedade, imagem, cumprimento de prazos e satisfação referentes aos produtos e serviços prestados exigidos pelo TQCS - Total Quality Control & Service.

Fonte: Marinha do Brasil

Navio Patrulha Guarujá apreende três embarcações com seis toneladas de pescado ilegal

14:11



No período de 19 a 23 de março, o Navio Patrulha Guarujá, subordinado ao Comando do Grupamento de Patrulha Naval do Norte, e o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) realizaram Operação de Patrulha Naval para fiscalizar e reprimir o descumprimento da Lei da Segurança (LESTA). Além disso, a ação teve o objetivo de impedir a pesca ilegal nas águas sob jurisdição do Comando do 4° Distrito Naval.

Durante a fiscalização, foram apreendidas três embarcações por transportar seis toneladas de pescado ilegal, da espécie garoupa, e por cometer infrações da LESTA como não portar documento ou não estar com condutor habitado. As embarcações "Dom Raphael X", "Deus é mais IV" e "Gold Fish" vão ser entregues à Capitania dos Portos da Amazônia Oriental. Já a carga foi apreendida pelo Ibama.

A operação foi baseada em levantamento de informações de inteligência que resultaram na otimização do emprego dos meios envolvidos e maior garantia de sucesso no cumprimento da missão. A chegada das embarcações apreendidas pelo Navio Patrulha Guarujá está prevista para hoje (23), às 16h, na Base Naval de Val de Cães.

Fonte: 4° Distrito Naval

Marinha abre 64 vagas para Engenheiros: salário de R$ 11 mil

13:26

As vagas são para ambos os sexos e brasileiros com menos de 36 anos, que tenham nível superior na área pretendida.


Começam hoje as inscrições para o Concurso Público do Corpo de Engenheiros da Marinha, com 64 vagas. As vagas são para ambos os sexos e brasileiros com menos de 36 anos, que tenham nível superior na área pretendida. Em 2018, abriram várias especialidades em Engenharia, além de Arquitetura e Urbanismo. As inscrições vão até 16 de abril de 2018.

Os interessados devem fazer sua inscrição no site www.ingressonamarinha.mar.mil.br ou em um dos postos de inscrição, distribuídos por todo o país (ver relação no Edital).  

As provas serão realizadas em duas fases. A primeira é composta por uma prova escrita objetiva de conhecimentos profissionais, com 20 questões e uma Redação, com duração de 4 horas. Os candidatos não eliminados nesta primeira etapa poderão participar da segunda fase e farão prova escrita discursiva de conhecimentos profissionais e uma tradução de texto na língua inglesa, com duração de 5 horas.  O candidato poderá baixar provas antigas no site.

Os aprovados em todas as etapas farão o Curso de Formação de Oficiais (CFO) no Centro de Instrução Almirante Wandenkolk (CIAW), na cidade do Rio de Janeiro. Ao serem aprovados, no final de 2019, os militares serão nomeados Oficiais da Marinha do Brasil no posto de Primeiro-Tenente e passarão a receber rendimentos brutos inicias de cerca de R$ 11 mil, além de diversos benefícios, tais como alimentação, alojamento, auxílio-fardamento e assistência médico-odontológica.

Marinha também recebe inscrições para nível Fundamental

A Marinha também está com inscrições abertas para o Colégio Naval, até 20 de abril. São 190 vagas e, para se candidatar, é necessário ser brasileiro nato e do sexo masculino, ter 15 anos completos e menos de 18 (em 1º de janeiro de 2019), dentre outros requisitos previstos em Edital.
Inscrição: 21/03/2018 a 16/04/2018 
Valor:
 R$ 120,00 

Concurso Público de nível superior para o Corpo de Engenheiros da Marinha (CP-CEM) 
Inscrição: 
até 20/04/2018 
Informação ao candidato
sspm.ingresso@marinha.mil.br 
Site
www.ingressonamarinha.mar.mil.br

INFORMAÇÕES À IMPRENSA
 
sspm.imprensa@marinha.mil.br

Volvo Ocean Race

12:00

A Volvo Ocean Race é a mais antiga e conhecida regata ao redor do mundo. 
A rota para a Volvo Ocean Race 2017-18 vai torná-la um dos desafios mais intensos de sua história: os principais velejadores e os mais sofisticados barcos estarão na maior e mais rápida corrida. Com quase três vezes mais milhas no desafiante oceano Antártico do que na edição anterior e a maior viagem porto a porto da história, o evento promete ser um teste intenso do trabalho em equipe e do espírito humano. 
Itajaí representa pela terceira vez Santa Catarina e o Brasil na Volvo Ocean Race, o maior evento de vela do mundo. Só em 2015, 350 mil visitantes participaram do evento no município.
Por ocasião da regata, a Marinha do Brasil disponibilizará um estande com temas de interesse da Instituição.
Mais informações estarão disponíveis em breve.
 

Trajeto

A largada da regata ocorreu no dia 22 de outubro de 2017 na cidade de Alicante na Espanha. As paradas serão em Lisboa (Portugal), Cidade do Cabo (África do Sul), Melbourne (Austrália), Hong Kong, Guangzhou (China), Auckland (Nova Zelândia), Itajaí (Brasil), New Port (Estados Unidos), Cardiff (País de Gales), Gotemburgo (Suécia) e Haia (Holanda).
Fonte

Agência da Capitania dos Portos em Paraty - AGPARATI - comemora centenário de criação

16:53

 
Tripulação da agência de Paraty
 
A Agência da Capitania dos Portos em Paraty (AgParati) comemora o seu centésimo aniversário de criação. A cerimônia militar alusiva ao evento ocorreu dia 28 de fevereiro com a presença do vice-prefeito Luciano de Oliveira Vidal, do Comandante da 3ª Cia. do 33º BPM-Paraty, 1º Tenente Thiago Paranhos Itaboraí, além de membros da Sociedade Amigos da Marinha e cidadãos Paratienses.
 
Criada pelo Decreto nº 12.886, de 28 de fevereiro de 1918, a Agência está localizada no Centro Histórico de Paraty, município que era conhecido como “o caminho do ouro”, na época do Brasil Imperial. Sua missão principal é a segurança da navegação, a proteção da vida humana no mar e a prevenção da poluição hídrica na área de jurisdição, compreendida entre a foz do rio Mambucaba e ponta de Trindade-RJ.
Fonte: Marinha do Brasil

Com4ºDN e CPAOR realizam a 1ª reunião do Fórum Permanente em 2018

16:48

VAlte Edervaldo e participantes do FSTAOR
No dia 15 de março, o Comando do 4º Distrito Naval e a Capitania dos Portos da Amazônia Oriental (CPAOR) realizaram a primeira reunião do Fórum Permanente de Segurança do Tráfego Aquaviário da Amazônia Oriental – FSTAOR do ano de 2018.
O Fórum tem como propósito analisar as questões relativas à Segurança da Navegação, Salvaguarda da Vida Humana e Prevenção da Poluição Hídrica na Amazônia Oriental. Nesse contexto, o Capitão de Mar e Guerra Santiago, Capitão dos Portos, ressaltou a importância da interoperabilidade entre os órgãos participantes e os municípios no combate às irregularidades comumente encontradas no transporte de passageiros e de cargas pelas vias fluviais. O objetivo dessa mobilização conjunta é a redução da ocorrência e da intensidade de acidentes da navegação.
Após a explanação do Capitão dos Portos, os representantes de Organizações Militares, Órgãos da Administração Pública, Agências Reguladoras, Sindicatos e Federações ligados à área da navegação puderam prestar suas proposições relativas aos temas ligados à área.
O Comandante do 4° Distrito Naval Vice Almirante Edervaldo Teixeira de Abreu Filho ressaltou a importância da participação ativa dos órgãos e que tem sido observado uma redução no número de acidentes após o posicionamento da Autoridade Marítima de enquadrar como crime as infrações cometidas que exponham ao perigo pessoas e embarcações, pautado nos artigos 132 e 261 do Código Penal.  Ao término agradeceu a presença de todos.

Diretor Industrial da Marinha realiza visita técnica à raia de tiro da Marambaia (RJ)

08:30

Visita técnica do Diretor Industrial da Marinha à Restinga da Marambaia
 
O Diretor Industrial da Marinha, Vice-Almirante, engenheiro naval, Mario Ferreira Botelho, e comitiva realizaram uma visita técnica à raia Linha II do Centro de Avaliações do Exército (CAEX), localizado na Restinga da Marambaia, no dia 12 de março. O diretor conheceu a raia de tiro operada pelo Centro de Manutenção de Sistemas da Marinha (CMS).
 
O CMS, organização militar prestadora de serviços subordinada à Diretoria Industrial da Marinha (DIM), é responsável pela manutenção e operação dos equipamentos da raia, utilizada para testar as munições desenvolvidas pela Fábrica Almirante Jurandyr da Costa Müller de Campos. A fábrica é subordinada à Diretoria de Sistemas de Armas da Marinha (DSAM).
 
Após uma apresentação do Diretor do CMS, Capitão de Mar e Guerra, engenheiro naval, Alexandre Magalhães Fernandes, o diretor industrial e comitiva percorreram as instalações, visitando a raia de tiro, a sala de controle e a torre de observação.  Eles conheceram os sistemas e o modo de operação da raia, onde é verificado o desempenho das munições que serão usadas pelos navios da Marinha.

Fonte: Marinha do Brasil