Diretor-Presidente do Conapra recebe o título de “Amigo do Ciaga”

09:51


O Diretor-Presidente do Conapra, Prático Gustavo Martins, recebeu o diploma de “Amigo do Ciaga” pela cooperação e divulgação das atividades do Centro de Instrução Almirante Graça Aranha, da Marinha do Brasil. A homenagem ocorreu, nesta quarta-feira (27/2), durante a comemoração do 48º aniversário do Ciaga, no Rio de Janeiro.

A Praticagem do Brasil mantém uma estreita parceria com o centro de instrução, contribuindo com a modernização de salas de aprendizado, projetos de incentivo ao esporte e à mentalidade marítima entre os jovens, além de projetos de energia renovável.

O Ciaga abriga a Escola de Oficiais de Marinha Mercante (EFOMM), referência para brasileiros e estrangeiros na formação de Oficiais em Náutica e Máquinas. Além de proporcionar melhor estrutura às instalações de ensino, a Praticagem apoia alunos da equipe de vôlei, do Grêmio de Vela e Remo e do Grêmio de Eficiência Energética da EFOMM.

No Ciaga, também acontece a parte presencial do Curso de Atualização para Práticos (ATPR), realizado pelo Conapra por delegação da Autoridade Marítima.

Fonte: Praticagem do Brasil

Workshop Internacional de Salvaguardas Nucleares debate regras, procedimentos e técnicas empregadas pelo Setor

15:36







Uma oportunidade ímpar para o estreitamento dos laços bilaterais entre especialistas brasileiros e norte-americanos, o International Workshop on Nuclear Safeguards, Nuclear Safety, Nuclear Security and Response to Nuclear or Radiological Emergencies, promovido pela Diretoria-Geral de Desenvolvimento Nuclear e Tecnológico da Marinha (DGDNTM), possibilitou a atualização e o debate sobre regras, procedimentos e técnicas empregadas internacionalmente no âmbito nuclear, tais como: os acordos de salvaguardas; procedimentos e segurança aplicável a instalações nucleares; e o gerenciamento de emergências nucleares ou radiológicas.
Durante três dias, especialistas reconhecidos internacionalmente apresentaram
 o tema para uma audiência de, aproximadamente, 180 pessoas
O evento, realizado no período de 12 a 14 de fevereiro, na Escola de Guerra Naval (EGN), no Rio de Janeiro-RJ, contou com a participação de representantes dos mais importantes Órgãos e Instituições brasileiras que atuam na Área Nuclear, bem como de integrantes do Governo dos Estados Unidos da América, em especial da National Nuclear Security Administration (NNSA), agência norte-americana vinculada ao Departamento de Energia daquele país.
Os assuntos abordados no Workshop foram selecionados por sua importância para a adequada utilização de material e tecnologias nucleares, considerando a premissa fundamental de que salvaguardas, segurança nuclear, proteção física e resposta a emergência nuclear ou radiológica são aspectos essenciais a serem observados para evitar a proliferação nuclear e garantir transparência e responsabilidade com as atividades desenvolvidas pelo Setor.
O Contra-Almirante Ruivo destacou que a Marinha é "exemplo singular no mundo" pelas práticas adotadas na área de salvaguardas nucleares
O Diretor da Agência Naval de Segurança Nuclear e Qualidade, Contra-Almirante Ruivo, relembrou que o Programa Nuclear da Marinha é conduzido com total transparência e com foco na aplicação pacífica da energia nuclear. As instalações da Marinha do Brasil, em terra, são licenciadas por órgão regulador civil, a Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN). O Almirante ressaltou, também, que "de modo voluntário, a Marinha submete-se a inspeções de salvaguardas por dois órgãos internacionais: a Agência Brasileiro-Argentina de Contabilidade e Controle de Materiais Nucleares (ABACC) e a Agência Internacional de Energia Atômica. É, portanto, exemplo singular no mundo. Essas práticas conferem credibilidade aos propósitos do Programa Nuclear da Marinha e a credenciam a contar com o reconhecimento e a colaboração internacional".
Para o Ministro Bento Albuquerque, "a energia nuclear, associada ao domínio de tecnologias estratégicas, é uma fonte de valor importante para o progresso e para a prosperidade do país"
O Ministro de Estado de Minas e Energia, Bento Albuquerque, salientou a relevância de alguns aspectos do uso pacífico da energia nuclear, dentre os quais: "que o Brasil é um estado membro fundador da Agência Internacional de Energia Atômica e, sempre, esteve comprometido, legal e politicamente, com o uso da energia nuclear, exclusivamente, para fins pacíficos"; e que "os programas brasileiros são voltados para aplicações civis, primordialmente, para o desenvolvimento do ciclo do combustível nuclear, e de reatores para a geração de energia nucleoelétrica e produção de radioisótopos, que dão origem a radiofármacos".
Nas palavras do Ministro, Brasil e Estados Unidos são parceiros estratégicos de longa data e a colaboração entre ambos pode ser ampliada para outras áreas de interesse comuns, como as tratadas no Workshop − extremamente relevantes para a comunidade internacional que atua no setor nuclear, por sua importância para a utilização adequada de material e tecnologias nucleares.
Ao seu término, se mostrou evidente que International Workshop on Nuclear Safeguards, Nuclear Safety, Nuclear Security and Response to Nuclear or Radiological Emergencies trouxe à pauta um profícuo debate sobre as atividades de salvaguardas nucleares, a partir da proposta de participação ativa da audiência e do tratamento aberto de questões fundamentais para o desenvolvimento da área nuclear.
Todas as palestras do Workshop e outras informações estão disponíveis em:https://www.marinha.mil.br/dgdntm/node/158.

Fonte: Marinha do Brasil

Marinha do Brasil assume a direção do Centro de Análise Estratégica da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa

06:24

Capitão de Mar e Guerra Francisco Evandro Rodrigues Camelo (à esq.), Sr. Atanásio Salvador M'tumuke e Tenente-General Luís Diogo de Carvalho

A Marinha do Brasil assumiu a direção do Centro de Análise Estratégica da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CAE/CPLP). O Capitão de Mar e Guerra Francisco Evandro Rodrigues Camelo tomou posse, no dia 21 de fevereiro, como o novo Diretor, cargo exercido desde 2016 pelo Tenente-General Luís Diogo de Carvalho, de Angola.
 
A solenidade de transmissão de cargo ocorreu nas instalações do CAE/CPLP, em Maputo, capital de Moçambique, e foi presidida pelo Ministro da Defesa Nacional de Moçambique, Atanásio Salvador M'tumuke.
 
Na ocasião, o Ministro da Defesa de Moçambique enalteceu o trabalho desenvolvido pelo Diretor anterior e garantiu dar o apoio necessário na realização das tarefas do seu sucessor.
 
Também participaram da cerimônia o Embaixador do Brasil em Moçambique; o Diretor Nacional de Política de Defesa de Moçambique; os Adidos Militares da CPLP em Moçambique; os membros do Conselho Consultivo do CAE/CPLP; Oficiais Generais e Oficiais Superiores das Forças Armadas de Defesa de Moçambique; entre outros convidados.
 
A Direção do CAE/CPLP obedece ao critério de rotatividade pelos países membros com mandato de três anos.

Fonte: Marinha do Brasil

Comandante da Marinha visita o CEFAN

04:06

Comandante da Marinha com os alunos do Programa Forças no Esporte

No dia 19 de fevereiro, o Comandante da Marinha, Almirante de Esquadra Ilques Barbosa Junior, visitou o Centro de Educação Física Almirante Adalberto Nunes (CEFAN), sendo recebido pelo Comandante-Geral do Corpo de Fuzileiros Navais, Almirante de Esquadra (FN) Alexandre José Barreto De Mattos.

Após assistir a uma palestra sobre as atividades desenvolvidas na Organização Militar, o Comandante da Marinha inaugurou as instalações do Laboratório de Pesquisa em Ciências do Exercício, elemento organizacional que, além de realizar estudos sobre possíveis fatores de risco de lesões musculoesqueléticas em militares e atletas de alto rendimento, trabalha na detecção de talentos esportivos e no aprimoramento do desempenho físico de combatentes.

Logo após, o Comandante percorreu as instalações por onde encontravam-se em atividade os alunos do Programa Forças no Esporte (Profesp). O Projeto, uma parceria entre os Ministérios da Defesa, do Esporte e do Desenvolvimento Social, atende a 500 crianças e adolescentes de comunidades carentes do entorno, oferecendo, além da prática desportiva em diversas modalidades, serviços médico, odontológico e de assistência social.

Durante a visita, o Almirante de Esquadra Ilques também cumprimentou os atletas de alto rendimento do Programa Olímpico da Marinha (PROLIM). O Programa, cujo objetivo é fomentar o desenvolvimento do esporte olímpico no Brasil, tem apresentado significativos resultados, culminando com a conquista de campeonatos mundiais em diversas modalidades como Vela, Maratona Aquática, Lifesaving, Pentatlo Naval, Vôlei de Praia, Judô, Futebol Feminino e Golfe.

Foram apresentadas ainda as atividades do “Cozinha Brasil”, projeto disponibilizado por meio de Termo de Cooperação da Marinha com o grupo Sesi/Firjan, que divulga informações sobre como utilizar alimentos de baixo custo e de fácil acesso, com o objetivo de melhorar os hábitos alimentares dos jovens. Além disso, a cooperação entre as instituições prevê a realização de palestras, peças teatrais e oficinas com o intuito de auxiliar na formação do caráter dessas crianças e adolescentes.
Ao término da visita, foi inaugurado o novo rancho, reformado para melhor servir à tripulação e aos integrantes dos diversos projetos abarcados pelo CEFAN.

Militar explica ao Comandante da Marinha o funcionamento de aparelho
Comandante da Marinha inaugura as instalações do Laboratório de Pesquisa em Ciências do Exercício

Fonte: Marinha do Brasil

Marinha participa do 190º aniversário da “Prefectura Nacional Naval" do Uruguai

05:06

Autoridades reunidas no Uruguai
A Autoridade Marítima Brasileira, representada pelo Diretor de Portos e Costas, Vice-Almirante Roberto Gondim Carneiro da Cunha, participou, no dia 9 de fevereiro, em Montevideo, Uruguai, das celebrações alusivas ao aniversário da “Prefectura Nacional Naval" do Uruguai, que completou 190 anos de existência.
Além do Diretor de Portos e Costas, foram recepcionados pelo Almirante Carlos Eduardo Abilleira Aris, Autoridade Marítima Uruguaia, diversos representantes de países e de instituições das Américas. Na ocasião, foram tratados assuntos de interesse das Autoridades Marítimas presentes e realizadas visitas às instalações da “Prefectura Nacional Naval" do Uruguai.

Fonte: Marinha do Brasil

ANTAQ realiza workshop sobre fiscalização da navegação marítima

06:08

workshop discutiu os avanços da fiscalização da Autarquia na área da navegação marítima e o planejamento de ações coordenadas com órgãos intervenientes.


A Agência Nacional de Transportes Aquaviários – ANTAQ realizou ontem (18), em sua sede, em Brasília, um workshop para discutir os avanços da fiscalização da Autarquia e o planejamento de ações coordenadas com órgãos intervenientes.
Participaram da reunião representantes do Tribunal de Contas da União, Marinha do Brasil e Receita Federal. Pela ANTAQ, foram convocados agentes de fiscalização lotados nas unidades regionais da Agência nas cinco regiões do país.
Na ocasião, foram apresentadas informações a respeito do marco legal para o setor da navegação de cabotagem e de longo curso restrito (acordos bilaterais), bem como os resultados dos trabalhos de inteligência da fiscalização da ANTAQ.
Tratou-se, ainda, de ações conjuntas com órgãos parceiros para combate às operações de transporte irregular na navegação marítima, visando proteger a bandeira nacional, a soberania e promover o cumprimento das legislações de comércio exterior e da navegação.
O evento seguirá até esta quarta-feira (20) apenas para o público interno e buscará capacitar o grupo de servidores da área de fiscalização da Agência.
“Os nossos fiscais serão treinados numa metodologia moderna de fiscalização que possibilitará ações mais assertivas no combate ao transporte irregular que atenta à legislação da navegação marítima”, destacou o gerente de Fiscalização da Navegação da ANTAQ, Alexandre Moura.
Fonte: ANTAQ

Marinha do Brasil participa de reunião sobre Tráfego Marítimo nos oceanos Pacífico e Índico

06:02

Grupo de Trabalho sobre o Transporte Marítimo nos Oceanos Pacífico e Índico
 
De 3 a 8 de fevereiro, na cidade de Sidney (Austrália), Oficiais do Centro Integrado de Segurança Marítima (CISMAR) representaram a Marinha do Brasil (MB) durante o encontro anual do Grupo de Trabalho sobre o tráfego marítimo nos oceanos Pacífico e Índico (PACIOSWG).
 
Estiveram presentes na reunião representantes dos seguintes países: Austrália, Equador, Estados Unidos da América, França, México, Nova Zelândia, Peru, Reino Unido, República da Coreia do Sul, Singapura e o diretor do “NATO Shipping Center” (NSC).
 
O propósito da reunião foi compartilhar informações que visem à melhoria da segurança do Tráfego Marítimo; realizar a avaliação crítica do exercício “BellBuoy 2018”; e o planejamento final do “BellBuoy 2019”, que será realizado na Austrália, em maio de 2019, bem como estreitar o relacionamento entre os Órgãos Internacionais responsáveis por essa atividade. 
 
Trata-se de um importante foro para a MB, pela oportunidade de acompanhar as evoluções da Doutrina “Naval Cooperation and Guidance for Shipping”, que é a doutrina de Controle Naval de Tráfego Marítimo aplicada pela Organização do Tratado do Atlântico Norte (NATO, sigla em inglês).
 
Ao fim da reunião, o Brasil, como membro permanente do grupo, assumiu o compromisso de exercer as funções de “Chair” e “Secretariat”, durante o biênio 2019/2020.

Fonte: Marinha do Brasil

O BioFom 2019, I Workshop sobre Biomonitoramento no Brasil

13:38





O BioFom 2019, I Workshop sobre Biomonitoramento no Brasil de foraminíferos e seu uso em avaliação ambiental, organizado pelo Instituto Oceanográfico da USP, ocorrerá entre os dias 13 a 16 de maio. As inscrições já estão abertas. Podem se inscrever profissionais e estudantes da área. O evento contará com sessões técnicas e palestras, de renomados pesquisadores nacionais e estrangeiros da comunidade científica, nas dependências do Instituto de Geociências da USP. Está programada uma saída de campo, para o estuário de Santos,SP em 16/05/2019.

Detalhes: https://www.biofom2019.com/
Dúvidas: 11 3091-6655 / biofom2019@gmail.com

Fonte: IOUSP

Navio de Pesquisa Hidroceanográfico "Vital de Oliveira" realiza visitação pública em Itajaí-SC

05:34

Público durante visita ao Navio de Pesquisa Hidroceanográfico “Vital de Oliveira”
Nos dias 2 e 3 de fevereiro, o Navio de Pesquisa Hidroceanográfico (NPqHo) "Vital de Oliveira" esteve aberto à visitação pública. O navio encontrava-se atracado no píer da Delegacia da Capitania dos Portos em Itajaí-SC, preparando-se logisticamente para dar continuidade à comissão de coleta de dados de sísmica rasa, batimetria, gravimetria e magnetometria na região do Oceano Atlântico Sul.
Durante os dois dias de visitação pública, foram recebidos 1.358 pessoas, incluindo membros da Sociedade dos Amigos da Marinha de Itajaí, as quais conheceram o moderno navio de pesquisa hidroceanográfico, dotado de 28 equipamentos científicos e com a capacidade de mapear dados da atmosfera, oceano, solo e subsolo marinhos, possibilitando um melhor conhecimento das riquezas da “Amazônia Azul”.

Fonte: Marinha do Brasil

Brasil participa da 6ª Sessão do Subcomitê sobre Projeto e Construção de Navios da OMI

08:06

Delegação do Brasil na 6ª Sessão do Subcomitê sobre
 Projeto e Construção de Navios
               
Com uma delegação composta por representantes da Marinha do Brasil e da Petrobras, o Brasil participou da 6ª Sessão do Subcomitê sobre Projeto e Construção de Navios (SDC) da Organização Marítima Internacional, em Londres, no período de 4 a 8 de fevereiro.
O Subcomitê SDC trata de vasta gama de questões técnicas e operacionais relacionadas com  projetos e construção naval. Abrange, igualmente, a aprovação de construção e de materiais, de linhas de carga, arqueação de navios, segurança de embarcações de pesca e transporte de pessoal industrial.
Durante a sessão, foi realizada uma apresentação pelo engenheiro Mauro Costa de Oliveira, do Centro de Pesquisas Leopoldo Américo Miguez de Mello, da Petrobras, na qual foram abordados aspectos relacionados à estabilidade de plataformas flutuantes de produção de petróleo e gás.
Apresentação do engenheiro Mauro Costa de Oliveira durante o subcomitê

Fonte: Marinha do Brasil

ANTAQ celebra seu 17º aniversário

14:25



Mário Povia: a Agência tem uma profícua interlocução com o setor regulado e com o governo federal

Em seus discursos, os diretores Mário Povia, Francisval Mendes e Adalberto Tokarski defenderam a desburocratização do setor aquaviário
A ANTAQ celebrou, nesta terça-feira (12), o seu 17º aniversário. Os diretores Mário Povia (geral), Adalberto Tokarski e Francisval Mendes, representantes do setor aquaviário e autoridades governamentais prestigiaram o evento, que aconteceu na sede  da Agência, em Brasília. Povia, Tokarski e Mendes defenderam, em seus discursos, a desburocratização para que a infraestrutura nacional se desenvolva.
Para Povia, “há que se vencer a burocracia”. Além disso, o diretor-geral destacou a melhoria da gestão das autoridades portuárias, descentralização das atribuições, o fortalecimento da cabotagem, a licitação de mais de uma centena de áreas portuárias, a transformação de rios navegáveis em efetivas hidrovias. “São medidas importantes que contribuirão para o melhoramento da infraestrutura do país”, afirmou.
O diretor-geral ressaltou ainda que o momento é de esperança, visto que um novo governo está se iniciando. Para ele, a ANTAQ está pronta para os desafios e para contribuir com a logística brasileira. Lembrou, ainda, que a fiscalização da Agência é eficiente e capilarizada, além de frisar que “regular é uma tarefa difícil, regular é para poucos, pois há que se lidar com inúmeros conflitos”. No entanto, Povia lembrou que a Agência tem uma profícua interlocução com o setor regulado e com o governo federal.
Para o diretor da ANTAQ, Francisval Mendes, a Agência, ao longo desses 17 anos, vem trabalhando para desburocratizar o setor e ampliar a atração de novos investimentos privados em infraestrutura portuária, seja por meio da licitação de arrendamentos, na prorrogação antecipada dos contratos de arrendamento em vigor ou na outorga de novas instalações privadas.
Mendes destacou também que a ANTAQ defende o incentivo à multimodalidade e à implantação de uma logística eficiente; a defesa do uso múltiplo das águas; o desenvolvimento das hidrovias e da navegação de cabotagem; e, notadamente, o diálogo com o setor. “Esse diálogo tem sido uma das principais bandeiras das gestões desta autarquia, com expressivos ganhos para o setor e para a sociedade”, ressaltou o diretor da ANTAQ.
Mendes lembrou que a Agência atua para entregar ao setor aquaviário nacional segurança jurídica e estabilidade regulatória, condições fundamentais para o seu crescimento.
Conforme o diretor Adalberto Tokarski, a ANTAQ regula serviços que trazem uma grande quantidade de divisas para o país. Assim como seus colegas de diretoria, defendeu também a desburocratização dos setores portuário e de navegação.

 Adalberto Tokarski (E), Diogo Piloni, Mário Povia e Francisval Mendes

Tokarski afirmou, ainda, que a fiscalização da Agência está mais próxima ao setor regulado. Por isso, em vez de autos de infração, vem adotando apenas as notificações. “Estando mais perto do regulado, conseguimos identificar a irregularidade mais rápido, e a adequação da empresa às normas também se faz mais célere, sem precisar da aplicação de multas”, destacou.
O diretor da ANTAQ defendeu o Decreto 9.048/2017, como normativo para desburocratizar o setor portuário. Enalteceu também a Resolução Normativa nº 13, editada pela Agência, que dispõe sobre o registro de instalações de apoio ao transporte aquaviário. Por fim, lembrou-se de outra norma editada pela ANTAQ: a Resolução Normativa nº 18, que aprova a norma que dispõe sobre os direitos e deveres dos usuários, dos agentes intermediários e das empresas que operam nas navegações de apoio marítimo, apoio portuário, cabotagem e longo curso.
O secretário nacional de Portos e Transportes Aquaviários do Ministério da Infraestrutura, Diogo Piloni, participou do evento. Para ele, a ANTAQ tem papel fundamental no programa de arrendamentos portuários do governo federal, na promoção da navegação e no desenvolvimento da movimentação de grãos pelo Arco Norte do país, entre outras demandas da infraestrutura e logística nacionais.
Fonte: ANTAQ

Praticagem de Pernambuco recebe parlamentares em visita técnica

07:44


Nos dias 8 e 9 de fevereiro, a Praticagem de Pernambuco organizou uma visita de parlamentares às suas instalações operacionais com o propósito de apresentar aspectos técnicos relacionados à atividade. Na ocasião, eles puderam conhecer ainda o Complexo Industrial Portuário de Suape, que completou 40 anos em 2018.





O Diretor-Presidente do Conapra, Prático Gustavo Martins, o Diretor Financeiro, Prático João Bosco, e o Assessor Marcus Vinícius acompanharam a delegação que recebeu informações sobre os investimentos em tecnologia e treinamento que a Praticagem vem realizando; um esforço próprio que contribui para o desenvolvimento sustentável do Porto e o fortalecimento de Pernambuco no cenário logístico nacional. O Presidente da Pernambuco Pilots, Alexander Krueger, participou da recepção.


Estiveram presentes os deputados federais Márcio Marinho (BA), Ossesio Silva (PE) e Vinicius Carvalho (SP), além do estadual William Brigido, todos do PRB.

Em Suape, juntou-se ao grupo o deputado federal Augusto Coutinho (PE), do Solidariedade. No complexo portuário, eles foram recebidos pelo novo presidente, Leonardo Cerquinho. 
O Capitão dos Portos, Maurício Bravo, também prestigiou a visita.

fonte: Praticagem do Brasil

Navio Polar “Almirante Maximiano” efetua lançamento de veículo autônomo submarino (glider) na Antártica

10:03

Pesquisadora configurando os dados para lançamento do glider
Durante a 4ª fase da Operação Antártica (OPERANTAR XXXVII), ao norte do estreito de Bransfield, próximo às ilhas Shetland do Sul, na Antártica, pesquisadores embarcados no Navio Polar (NPo) “Almirante Maximiano”, representando o projeto “Nautilus”, da Universidade Federal do Rio Grande (FURG), em colaboração com a universidade britânica University of East Anglia (UEA), efetuaram o lançamento de um veículo autônomo submarino (glider), a partir de um bote do navio, recolhendo-o dois dias depois.

Com o lançamento do glider, o projeto “Nautilus” tinha como intenção realizar uma seção oceanográfica de 75 quilômetros, cruzando o estreito de Bransfield das Ilhas Shetlands do Sul à Península Antártica. Essa seção seria repetida pelo glider em torno de oito vezes, coletando dados físicos do oceano, enquanto o NPo “Almirante Maximiano”,  daria suporte ao restante da equipe na realização de estações oceanográficas na região do estreito de Bransfield, estreito de Gerlache e Mar de Weddell. Com tais dados, o projeto Interbiota poderia avaliar a circulação das águas da região e estudar a interação dos parâmentos físicos na produtividade biológica local.

Os resultados positivos alcançados com o lançamento foram suficientes para que os pesquisadores planejem trazer dois gliders na próxima OPERANTAR, a fim de perfilarem o estreito de Bransfield por até dois meses.

Os gliders são uma nova tecnologia para observação dos oceanos, permitindo medir propriedades da água, como salinidade, temperatura e oxigênio dissolvido, com alta resolução espacial e temporal. Devido à sua hidrodinâmica, são capazes de desenvolver uma velocidade horizontal de cerca de 35 cm/s, conseguem vencer as correntes e possuem uma autonomia de bateria de até quatro meses, sendo ideais para serem utilizados em regiões extremas, de difícil acesso, como a Antártica. Com tais características, um glider pode perfilar uma região do oceano realizando mergulhos de até 1000 metros, sendo comandados remotamente. Após cada mergulho, uma vez na superfície, o equipamento envia os dados coletados, via satélite, e pode receber novos comandos dos pilotos para que sua rota ou a forma de coleta de dados sejam alteradas.
Lançamento do glider

Fonte: Marinha do Brasil

Nota de pesar pelo falecimento do Prático Cals, no Rio de Janeiro

14:54


Em nome da Praticagem do Brasil, o Conselho Nacional de Praticagem lamenta profundamente a morte do Prático Valdir Barros Cals, no Rio de Janeiro, e presta condolências a familiares e amigos.

Prático Cals caiu no mar durante operação de embarque para assessorar o comandante de um navio que atracaria no terminal de contêiner de Sepetiba (Sepetiba Tecon). Ele foi resgatado imediatamente pela lancha de Praticagem, mas, ao chegar no cais de Mangaratiba, a equipe médica que o aguardava atestou o óbito.

O acidente aconteceu por volta das 19h30m de segunda-feira (4/2) e será apurado pela Capitania dos Portos. 

Fonte: Praticagem do Brasil

Cruzador Bahia - História Naval

15:10

A 2ª Guerra Mundial encontrou a Marinha em situação material bastante precária, devido ao abandono a que fora relegada pelos governos. Assim, quando o submarino alemão U-507, na noite de 21 para 22 de agosto de 1942, nas costas de Sergipe, afundou cinco mercantes, com a perda de 607 passageiros, tínhamos muito pouco com que enfrentar o inimigo que ameaçava nossas linhas de navegação. Mas, com enorme esforço e com o auxílio norte-americano, em pouco tempo, dispúnhamos de uma frota anti-submarinos bem equipada e aguerrida.
Nossa principal tarefa foi a de garantir a proteção dos comboios que trafegavam entre Trinidad, no Caribe, e Florianópolis, em nosso litoral sul. Foram eles 574, formados por 3.164 mercantes, dos quais, apenas três foram afundados. E não porque não houvesse submarinos. Dezesseis deles foram destruídos no Atlântico Sul, muitos por aviões, depois de avariados por ataques de unidades de superfície. Documentos alemães confirmam que realizamos 66 ataques contra seus submarinos.
Coube, ainda, à Marinha, a escolta do transporte da FEB até Gibraltar e o patrulhamento oceânico contra os furadores de bloqueio, navios que traziam mercadorias do Oriente para a Alemanha.

Hoje, bem equipada, no que tange à qualidade, a Marinha desempenha o papel reservado do Poder Naval em tempo de paz, funcionando como elemento dissuasor ao estabelecer um custo elevado a eventuais opções militares de adversários em potencial, respaldando a ação política do governo no campo das relações internacionais e mantendo-se atualizada, pronta a se expandir quando necessário.

Fonte:Marinha do Brasil

Passagem de Curupaiti - História Naval

15:02



primeira não resistiu, mas, para a tomada da segunda, foi necessário o esforço conjunto das tropas terrestres, dos elementos desembarcados e do apoio da artilharia dos navios. 

Ocupada Paissandu, Venâncio Flores foi aclamado em Montevidéu. Pouco depois, o ditador do Paraguai, Francisco Solano Lopes, apresou um navio brasileiro - o Marquês de Olinda -, no rio Paraguai, e invadiu a Argentina, Mato Grosso e o Rio Grande do Sul.

Deflagrada a guerra, chamada da Tríplice Aliança, a Marinha, operando no centro inóspito do continente, subiu os rios, enfrentando as baterias instaladas nas margens e navios que rebocavam chatas com canhões de grosso calibre. Assim foi travada a Batalha Naval do Riachuelo. 

Depois, o avanço pelos rios Paraná e Paraguai, apoiando a marcha do Exército, foi conduzido com os encouraçados fluviais, que eram atacados por centenas de canhões assestados nas barrancas e fortalezas e pelas bogarantes, canoas repletas de guerreiros guaranis, que abordavam os navios brasileiros e travavam lutas de arma branca nos conveses, até serem expulsos.

Fonte: Marinha do Brasil