ARMADA no mar & BANDEIRAS na terra

08:05

Quem é o autor? 

Elcio Rogerio Secomandi

Coronel de Artilharia 

Professor Emérito da Universidade Católica de Santos

Membro: Academia Santista de Letras / Fundação Cultural Exército Brasileiro

ICOFORT_ Comitê Internacional sobre Fortificações e Herança Militar

Instituto Histórico e Geográfico de Santos

"O Coronel tem em suas missões, sua esposa Tanyra Secomandi , principal incentivadora dos seus sonhos entre os Fortes e Canhões pelo mundo todo".

Breve relato histórico sobre as conquistas territoriais e povoamento do Brasil- Colônia, empreendidos por navegantes em mares bravios e bandeirantes em terras “nunca dantes” exploradas.
Inspirado no maior poema épico da língua portuguesa (Os Lusíadas), o texto destaca o admirável projeto arquitetônico-millitar erguido ao longo do vasto perímetro da América de origem portuguesa, sob a forma de muralhas de pedras construídas para durar séculos.
“No mar tanta tormenta e tanto dado (...)
Na terra tanta guerra, tanto engano”
Luís de Camões, Os Lusíadas, 1572
Foi assim, com tanta tormenta, tanto dano, tanta guerra, tanto engano, ou quase assim que eles, navegantes e bandeirantes ousaram romper o Cordão de Tordesilhas para desbravar e nos entregar um país-continente chamado Brasil.

Arquipélago dos Alcatrazes

10:50


Marinha do Brasil - Nota à Imprensa

A Marinha do Brasil (MB), fruto de seu permanente compromisso com a preservação do meio ambiente e após ter chegado a um consenso com o Ministério do Meio Ambiente (MMA), o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA) e o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), está analisando a alteração do posicionamento da raia onde são realizados os exercícios de tiro, de forma a utilizar apenas a Ilha da Sapata, uma ilha menor, situada a nordeste da Ilha de Alcatrazes, no litoral de São Paulo. Tal reposicionamento contribuiria para a redução de eventual impacto ambiental, decorrente dessa atividade, que é considerada imprescindível para a consecução da destinação constitucional da MB – a defesa da Pátria.
Dessa forma, a Marinha não se opõe à criação do Parque Nacional Marinho de Alcatrazes, desde que a Ilha da Sapata seja mantida fora dos limites do futuro parque e sob a jurisdição da MB, a fim de que se possa dar continuidade aos exercícios.
Cabe ressaltar que a presença da Marinha do Brasil no Arquipélago de Alcatrazes tem, ainda, o potencial de dissuadir a presença e a atuação de depredadores, bem como a execução de outras atividades ilícitas no local. 

Fonte: CENTRO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL DA MARINHA
  
 CONHEÇA UM POUCO MAIS SOBRE ALCATRAZES
                                    Mapa da ESEC Tupinambás

As Ilhas, Ilhotes e Lajes Litorâneas que compõem a Estação Ecológica Tupinambás têm como parte integrante, para os fins previstos no decreto, o entorno marinho de cada uma das ilhas, ilhotes e lajes, numa extensão de 01 (um) quilômetro a partir da rebentação das águas nos rochedos e praias; totalizando uma área de aproximadamente 2.445,20 hectares, incluindo ambiente terrestre e marinho. A única porção do Arquipélago dos Alcatrazes não inserida no decreto é a Ilha dos Alcatrazes (ilha principal), tendo, contudo, parte da mesma abrangida na referida extensão de 1 km contemplada pela legislação, sendo o restante considerado como entorno

A importância desta Estação Ecológica é inegável, pois constitui um notável laboratório natural para estudos evolutivos.
Dentre as estratégias de ação que buscam conciliar conflitos e assegurar a sustentabilidade ecológica, a ESEC Tupinambás elenca como prioridade a elaboração do Plano de Manejo com a participação da comunidade local, de representantes dos órgãos públicos das diversas esferas, dos Centros acadêmicos e de pesquisas, de Organizações Não-Governamentais e demais representantes de classes, em um processo dinâmico, interativo e participativo para a definição do que se quer de uma Unidade de Conservação Marinha, dentro dos limites e diretrizes legais estabelecendo efetivamente os programas de educação ambiental, de pesquisa e de conservação de ecossistemas insulares; além de divulgá-la e promovê-la dentro do contexto nacional de áreas protegidas.
O Arquipélago de Alcatrazes
Encontra-se protegido pela Resolução nº 40 de 06 de junho de 1985, da Secretaria do Estado da Cultura, que tombou a Serra do Mar e as Ilhas Costeiras.A Estação Ecológica Tupinambás abriga o maior ninhal de aves marinhas do Sudeste brasileiro, especialmente de Fragatas ou Tesourões (Fregata magnificens); Atobás (Sula leucogaster), que antigamente eram chamados de Alcatrazes, daí o nome do arquipélago; e Trinta-réis (Sterna sp). 
 Pesquisas também identificam em seu ecossistema, áreas de Mata Atlântica e espécies endêmicas, como, por exemplo, a Jararaca de Alcatraz (Bothrops sp), uma perereca (Scinax alcatraz) e a Rainha-do-abismo (Sinninngia insularis), vegetação típica de rochedo.

 Em suas águas ocorrem e se alimentam diversas espécies marinhas entre elas cinco espécies de tartarugas marinhas: a Tartaruga cabeçuda (Caretta caretta); Tartaruga verde (Chelonia mydas) – a mais comum; Tartaruga-de-pente (Eretmochelys imbricata); Tartaruga marinha (Lepidochelys olivacea) e a Tartaruga-de-couro (Dermochelys coríacea) – a maior de todas; um peixe cuja única ocorrência registrada é de Alcatrazes, Enguia-de-jardim (Heteroconger longissimus); outras 150 espécies recifais já estudadas; 04 espécies de baleias já foram avistadas, sendo a Baleia de bryde (Balaenoptera edeni) a mais freqüente e o Golfinho pintado do atlântico (Stenella frontalis) espécie também e de freqüente ocorrência na área.

ARQUIVOS DO PROGRAMA 
Amigos do Mar
 EM VIDEO: 


Praticagem contribui para minimizar prejuízos ao Porto de Santos

10:26

Praticagem participou das simulações que definiram os parâmetros para a homologação da nova profundidade do canal do porto. Novas simulações serão realizadas para definir os limites para a mão dupla

Para permitir a homologação de maior profundidade (14,9 metros), o canal de acesso ao Porto de Santos sofreu um estreitamento de 280 metros para 220 metros no trecho em curva entre as boias nº 2 e nº 4. Em consequência disso, o projeto de balizamento aprovado para as novas condições definiu que o comprimento máximo dos navios que passariam a trafegar pelo novo canal seria limitado a 266 metros e que todo o tráfego passaria a ser efetuado em mão única.Antevendo os possíveis prejuízos, já que mais de 25% dos navios que frequentam o Porto de Santos tinham comprimento superior ao limite que fora estabelecido e que o tráfego se processava em mão dupla para as embarcações com até 230 metros de comprimento, a Praticagem de Santos propôs às Autoridades Marítima e Portuária a realização de manobras em simulador para verificar, a despeito dos limites estabelecidos com base nas normas técnicas, quais seriam os limites possíveis de alcançar, com segurança, utilizando-se de toda a perícia e ‘expertise’ dos práticos. Isto permitiria minimizar o prejuízo à dinâmica do tráfego no porto.Com base nos resultados das simulações realizadas nos dias 27, 28 e 29/05, a Portaria nº 38/2013, da Capitania dos Portos, definiu o navio-tipo autorizado a realizar manobras em condições seguras de visibilidade sem quaisquer restrições: 306 metros de comprimento máximo e largura máxima de 46 metros. Antes do estreitamento do canal, eram realizadas manobras sem restrição de embarcações com comprimento de 306 metros (navios MALLECO, MEHUIN, MAULLIN, MAIPO e MATAQUITO) e 48,2 metros de largura (navios MSC AGADIR, MSC ALBANY e MSC ANCHORAGE). Com restrições, eram movimentados navios com até 334 metros de comprimento e 43 metros de largura (navios ALIANCA ITAPOÁ – ex COSCO VIETNAN e ALIANCA CHARRUA).
Ficou estabelecido, também, que os navios entre 306 e 335 metros de comprimento somente poderão manobrar em condições especiais que serão coordenadas pelas Autoridades Marítima e Portuária e pela Praticagem. 
Para evitar a manutenção de todo o tráfego em mão única, conforme previsto no projeto de balizamento aprovado, a portaria, acatando a sugestão da Praticagem, prevê a possibilidade de tráfego em mão dupla para os navios com até 190 metros de comprimento, largura de 33 metros e calado de 11 metros. Essa situação irá perdurar até que a Companhia das Docas do Estado de São Paulo (Codesp) promova novas simulações de manobras.
“Não há dúvida de que a proatividade da Praticagem e a sua disposição em contribuir para a busca de soluções ajudou a evitar que hoje, à luz do que está previsto nas normas técnicas pertinentes, um em cada quatro navios que frequentam o Porto de Santos não mais pudesse trafegar pelo canal de acesso” – ressalta o presidente da Praticagem de Santos, Paulo Sérgio Barbosa, que acompanhou de perto as simulações realizadas na semana passada por práticos e representantes das Autoridades Marítima e Portuária.

O calado operacional passou a ser de 13,2 metros, podendo ser elevado a 14,2 metros nas janelas de maré, isto é, quando a altura da maré estiver igual ou superior a um metro. A homologação da nova profundidade do canal do porto poderá representar uma vitória para o Porto de Santos, na medida em que os berços de atracação estejam estruturados em termos de profundidades compatíveis com esta nova realidade.

Soberania e Proteção da “Amazônia Azul”.

10:50


Chega ao Rio de Janeiro mais novo
 Navio-Patrulha da Marinha do Brasil


O Navio-Patrulha Oceânico “Apa”, projetado e construído para atender às necessidades de fiscalização de extensas áreas marítimas, contribuirá com os demais navios da Marinha do Brasil na proteção da “Amazônia Azul”.
Após atracar na cidade de Rio Grande (RS), no dia 08 de maio, vindo de uma viagem de cerca de dois meses de trânsito pela costa africana, o Navio-Patrulha Oceânico (NPaOc) “Apa” chega dia 24 de maio em seu porto sede: Rio de Janeiro (RJ).
O navio partiu de Portsmouth, no Reino Unido, em 11 de março e fez escala em Portugal, Espanha, Mauritânia, Senegal, Gana, Angola e Namíbia. Durante a sua viagem para o Brasil, pode interagir com as Marinhas dos países africanos visitados, realizando exercícios conjuntos, como por exemplo, treinamento antipirataria.
Ao chegar ao Brasil, o NPaOc realizou Vistoria de Segurança de Aviação (VSA) em Rio Grande, visando à preparação do navio para operações aéreas. O “Apa” ficou aberto à visitação pública nos portos de RioGrande e Itajaí (SC).

O navio, construído pela empresa BAE Systems Maritime - Naval Ships e incorporado à Marinha do Brasil, no dia 30 de novembro de 2012, é o segundo da Classe “Amazonas” e recebe o nome de um importante rio da Região do Pantanal, o Apa, que delimita a fronteira entre o Brasil e o Paraguai, cuja bacia hidrográfica tem cerca de 12.000 quilômetros quadrados em território brasileiro. 
O primeiro a ser incorporado foi o NPaOc “Amazonas”, em 29 de junho de 2012, e o terceiro, “Araguari”, chegará ao país no segundo semestre deste ano.
A aquisição dos três Navios-Patrulha Oceânicos agrega importante valor para que a Marinha  possa intensificar as ações de Patrulha e Inspeção Naval, voltadas à segurança do tráfego aquaviário, prevenção da poluição ambiental e, ainda, para o aumento da capacidade de Busca e Salva-mento (SAR), ao longo da extensa área marítima sob a responsabilidade do Brasil. Mas,principalmente no patrulhamento da chamada “Amazônia Azul”, operando, primordialmente, na  região das bacias petrolíferas dos estados do Espírito Santo, São Paulo e Rio de Janeiro.
O evento contará com a presença do Comandante da Marinha, Almirante-de-Esquadra Julio Soares de Moura Neto, e de Parlamentares.

Fonte: CENTRO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL DA MARINHA - 23 de maio de 2013

Navio-Veleiro “Cisne Branco”

17:24

Navio-Veleiro “Cisne Branco” suspende para Comissão “Europa 2013”

No dia 27 de março, o Navio-Veleiro “Cisne Branco” 
suspendeu da Base Naval do Rio de Janeiro, 
para cumprir a Operação “Europa 2013”. 
De 27 de março a 2 de novembro, ele vai realizar 
ação de presença e estreitar os laços de amizade 
com os países visitados e Marinhas amigas.
Neste período, o navio participará dos seguintes eventos: 
823º Aniversário do Porto de Hamburgo;
Armada de Rouen;
525º Aniversário da Marinha Real Holandesa;
Regata "Tall Ships Races";
23ª "Hanse Sail Rostock";
6º Festival "Mediterrâneo e Veleiros"; e
3ª Regata "Tall Ships Mediterranean".
Durante sua viagem, o “Cisne Branco” vai atracar nos
Portos de Recife (PE) e Natal (RN), no Brasil;
Las Palmas, Barcelona e Teneriffe,
na Espanha; Hamburgo e Rostock,
na Alemanha; Dublin, na Irlanda; Antuérpia, n
a Bélgica; Rouen, na França; Den Helder,
na Holanda; Oslo, na Noruega; Aarhus,
na Dinamarca; Helsinki, na Finlândia;
Riga, na Latvia; Szcezcin, na Polônia;
Lisboa, em Portugal; e Cagliari e Civitavecchia, na Itália.

Confira a função do Navio Veleiro Cisne Branco e a Mentalidade Marítima

No video: https://vimeo.com/album/1741126/video/31682572 


Riocentro a abertura da 9ª edição da Feira internacional de Defesa e Segurança (LAAD)

08:50

Cerimônia de Abertura Oficial da LAAD 


No dia 9 de abril, aconteceu no Riocentro a abertura da 9ª edição da Feira internacional de Defesa e Segurança (LAAD). A Cerimônia de Abertura foi realizada às 10h e contou com a participação do Vice-Presidente da República, Michel Temer, do Ministro da Defesa, Embaixador Celso Amorim, do Comandante da Marinha, Almirante-de-Esquadra Julio Soares de Moura Neto, do Comandante do Exército, General-de-Exército, Enzo Martins Peri e do Comandante da Força Aérea Brasileira, Tenente-Brigadeiro-do-Ar, Juniti Saito. Também estiveram presentes no evento autoridades civis e militares do Brasil e de diversos países.

Logo após a abertura da maior Feira de Defesa e Segurança da América Latina, o Almirante Moura Neto recebeu no estande da MB, localizado no pavilhão 2, o Vice-Presidente, Michel Temer e o Ministro da Defesa, Celso Amorim. Na ocasião foi apresentado o modelo de submarino com propulsão nuclear e o simulador de passadiço.

Na parte da tarde, o Almirante Moura Neto recebeu, em reunião fechada, para tratar de acordos navais internacionais, os representantes das comitivas da Holanda, Chile, Suécia, Colômbia, Peru, Itália, Angola, Namíbia, França, Bolívia, Nigéria, República Dominicana, Gabão e Suriname. Para amanhã, a previsão é que ocorra a abertura do Seminário Internacional de Logística Militar, a Cerimônia de assinatura do contrato de compra de aeronaves Super Tucano e Navios Patrulha pelo Senegal, a assinatura do acordo de Cooperação Técnica e Científica com o Comando do Material do Corpo de Fuzileiros Navais (CMatCFN) e também a reunião com o Diretor do Programa Internacional da Marinha dos EUA, entre outros eventos. 
ENTENDA MELHOR A IMPORTÂNCIA DO SUBMARINO DE PROPULSÃO NUCLEAR
ACESSE: