Comando do 4º Distrito Naval visita instalações de pesquisa da Universidade de São Paulo

12:45

Vice-Almirante Edervaldo e Capitão de Mar e Guerra Dutra
foram recebidos por professores na USP
 
No dia 11 de setembro, o Comandante do 4º Distrito Naval, Vice Almirante Edervaldo Teixeira de Abreu Filho, acompanhado do Capitão dos Portos do Maranhão, Capitão de Mar e Guerra Marcio Ramalho Dutra e Mello, visitou as instalações de pesquisa da Universidade de São Paulo (USP), voltadas para as ciências do Mar.
 
A convite da Empresa Vale que, tanto quanto a Marinha, tem forte parceria com a universidade, principalmente nos estudos da movimentação dos Navios Mercantes na Baía de São Marcos, em São Luís-MA, em particular no Terminal Marítimo da Ponta da Madeira (TMPM), foram visitadas as instalações da Fundação Centro Tecnológico de Hidráulica (FTCH), do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) e do Tanque de Provas Numérico (TPN).
 
Na companhia dos representantes do TMPM, o Gerente Geral de Operações Walter Pinheiro, o Gerente Geral de Programação, José Benedito Valentin, e o Chefe do departamento de Operações Portuárias, Augusto Magalhãesa visita teve início na FTCH. Em seguida, foram apresentadas as oficinas de calibração de modelos físicos de navios, em escala reduzida, e a reprodução da baía de São Marcos, onde foi possível manobrar com um Navio Graneleiro no Simulador Analógico de manobras.
 
A visita ao IPT foi conduzida pelo professor Dr. Carlos Padovezi, que apresentou a histórica ligação do Instituto com a Marinha do Brasil, em especial os estudos de Engenharia Naval que, por opção da Marinha, preferiu associar-se à Escola Politécnica da USP, exercendo suas atividades desde 1955. Em seguira, foi visitado o Tanque de Provas do Instituto, com sua extensão de 240 metros e largura de seis metros, no qual são testados fisicamente vários modelos em escala, incluindo projetos consagrados da Marinha do Brasil.
 
Por fim, a visita ao TPN permitiu conhecer um dos simuladores de navios mais completos do País, utilizado para análises de várias empresas e pela Marinha do Brasil, para verificação em tempo real de riscos à Segurança da Navegação e eventuais interferências ao Ordenamento do Tráfego Aquaviário, sempre que há qualquer mudança nas características dos Portos ou Navios-tipo de uma determinada região.

Fonte: Marinha do Brasil

You Might Also Like

0 comentários