quinta-feira, 21 de dezembro de 2017

Diretor-geral da OIM pede migração segura em um mundo em constante movimento

Barco transporta migrantes e refugiados no Mediterrâneo. Foto: ACNUR/L.Boldrini
Barco transporta migrantes e refugiados no Mediterrâneo.
Foto: ACNUR/L.Boldrini
O diretor-geral da Organização Internacional para as Migrações (OIM), William Lacy Swing, fez um chamado urgente a favor de uma “migração segura em um mundo em constante movimento”, no Dia Internacional dos Migrantes, celebrado nesta segunda-feira (18).
Para ele, “enquanto vivemos em uma época na qual uma elite privilegiada considera a mobilidade mundial um direito virtualmente inato, tal direito é negado a muitos outros que estão presos em uma péssima situação econômica ou de conflito, sem solução alguma à vista”.
O diretor-geral da Organização Internacional para as Migrações (OIM), William Lacy Swing, fez um chamado urgente a favor de uma “migração segura em um mundo em constante movimento”, no Dia Internacional dos Migrantes, celebrado nesta segunda-feira (18).
A OIM promove uma série de eventos mundiais para lembrar a data, entre os quais uma cerimônia de entrega de prêmios em Genebra, na Suíça, no marco do Festival Global de Cinema sobre Migração. O festival, que chega à sua segunda edição, teve a participação de representantes de setor público, privado, terceiro setor e da OIM em mais de 100 países, entre eles o Brasil.
Além da projeção de filmes em Genebra e Nova Iorque, a OIM estará presente em um debate sobre liderança da ONU com a participação do secretário-geral António Guterres, que ocorrerá na Casa UNICEF em Manhattan e cujo tema será o Pacto Mundial sobre Migração. A expectativa é de que o pacto seja adotado no fim de 2018, uma vez concluídas as negociações entre os Estados-membros das Nações Unidas.
O debate sobre a liderança da ONU terá como foco a atenção em questões comuns em relação ao tema migratório e deixará de lado tudo aquilo que gera divisões, disse Swing. Apesar da retórica existente em torno da migração, esta não deve ser considerada um problema a ser resolvido, e sim uma realizada a ser administrada, explicou.
Entre os eventos da Casa UNICEF também está a inauguração em Nova Iorque do UNPACKED: Refugee Baggage (bagagem de refugiados), uma instalação artística aclamada pela crítica (clique aqui para saber mais detalhes).
A exposição dá vida a histórias de refugiados que se assentaram nos Estados Unidos, descrevendo traumas passados e apresentando modelos tridimensionais de suas casas, montadas sobre as malas que eles levavam consigo enquanto viajavam. Em uma exposição particularmente marcante, os visitantes poderão explorar o lar bombardeado de um refugiado por meio de imagens de realidade virtual.
A OIM também lançará uma série de podcasts denominados “JUNTOS: Histórias pessoais de migrantes e refugiados“, cujo anfitrião será o refugiado iraquiano de 19 anos Ahmed Badr, que quando era mais jovem reassentou-se nos EUA com sua família com a ajuda da OIM.
Ahmed, que tinha 7 anos quando uma bomba atingiu a casa de sua família em Bagdá, conversa nos dois primeiros capítulos da série com seus pais e sua irmã Mayam, que fazem um amplo relato de sua história familiar. Nos episódios seguintes, Ahmed entrevista outros jovens refugiados e migrantes.
Os podcasts são parte da iniciativa JUNTOS da ONU, destinada a fomentar a compreensão das questões vinculadas a migrantes e refugiados por meio do poder das redes sociais.
Em uma coluna, escrita na ocasião do Dia Internacional do Migrante, Swing afirmou que “enquanto vivemos em uma época na qual uma elite privilegiada considera a mobilidade mundial um direito virtualmente inato, tal direito é negado a muitos outros que estão presos em uma péssima situação econômica ou de conflito, sem solução alguma à vista”.
Ele advertiu que negar o problema só levará à disseminação e à impunidade de redes de tráfico de migrantes e de escravidão moderna.
 Fonte: https://nacoesunidas.org

Nenhum comentário:

Postar um comentário