Amazônia Azul: Comandante da Marinha enaltece trabalho da Praticagem

14:35

O Comandante da Marinha do Brasil, Almirante Ilques, enalteceu a contribuição da Praticagem na
prevenção à poluição hídrica na Amazônia Azul – termo adotado pela Autoridade Marítima, em 2004, como forma de alertar a sociedade para a importância política, estratégica e econômica das águas jurisdicionais brasileiras.

– Em termos de segurança da navegação, da salvaguarda da vida humana e do meio ambiente, é inquestionável a qualidade do trabalho da Praticagem. Conheço muitas Praticagens no mundo e a nossa não deve nada a ninguém. Supera desafios enormes em situações distintas e o resultado é um índice de acidentes praticamente zero, insignificante diante da quantidade de manobras – disse o Comandante durante a premiação do Concurso de Redações Amazônia Azul, uma realização da Sociedade dos Amigos da Marinha do Estado do Rio de Janeiro, com apoio do Conapra e da Fundação Cesgranrio.

O evento ocorreu na última sexta-feira (15/3), no Salão Nobre do 1º Distrito Naval, anexo ao Gabinete do Comandante da Marinha, no Rio de Janeiro. O objetivo da iniciativa foi despertar uma mentalidade marítima especialmente entre os jovens, a partir do conhecimento da Amazônia Azul.
Almirante Ilques aproveitou o momento de confraternização para chamar a atenção para uma realidade: a automação da indústria em um cenário com previsão de aumento de 380% no comércio marítimo.

– Estamos enfrentando um momento diferente. Um navio mercante de 30 tripulantes, em breve, terá 15. O que vamos fazer com os outros 15? A área portuária também será cada vez mais automatizada. Como vamos fazer com os brasileiros que não estão tendo acesso à automação? Não estou falando de ficção. São ameaças concretas ao bem-estar, ao nosso viver com dignidade. E, dessa dimensão, nascem todas as vertentes da Amazônia Azul. Por isso, a importância do trabalho do presidente (da Soamar) com apoio da Cesgranrio e do Conapra. Estamos tratando do presente próximo e do futuro da geração que nos sucede.

Presidente da Soamar-Rio, Jose Antonio de Souza Batista compartilhou da mesma preocupação social e também destacou o trabalho dos Práticos brasileiros:
– A Praticagem desenvolve um trabalho fundamental à segurança da navegação, na medida em que evita acidentes e a poluição dos mares e oceanos na chegada e saída dos navios. A Praticagem do Brasil atingiu um grande nível e está devidamente aparelhada para prestar este serviço. Os acidentes são mínimos. Ou seja, um derramamento de óleo hoje pode ocorrer em alto-mar por qualquer outro tipo de acidente, nunca pela entrada ou saída dos portos.

O avanço da tecnologia nas embarcações traz, ainda, questionamentos sob o ponto de vista da segurança, já que introduz novos riscos em Zonas de Praticagem. O tema foi discutido no último Encontro Nacional de Praticagem, na palestra sobre navios autônomos.
Representaram a Praticagem, na premiação, o Diretor-Presidente do Conapra, Prático Gustavo Martins; o Diretor Financeiro, Prático João Bosco; o Secretário Executivo, Arionor Souza; e o Assessor Marcus Vinícius.

Na primeira edição do concurso, foram premiados 20 participantes entre quase mil inscritos, em duas categorias: Geral e Universitários. O júri foi formado por professores da Cesgranrio, militares e pelos acadêmicos Arnaldo Niskier e Domício Proença, da Academia Brasileira de Letras.

Além do Comandante da Marinha, estiveram presentes: o Diretor-Geral de Navegação, Almirante Puntel; o Diretor de Portos e Costas, Almirante Roberto; o Comandante do 1º Distrito Naval, Almirante Cunha; o Presidente do Tribunal Marítimo, Almirante Lima Filho; e o Presidente do Centro dos Capitães da Marinha Mercante, Comandante Alvaro.

Fontes: Praticagem do Brasil

You Might Also Like

0 comentários